Suspenso

Dia de São Marçal sem festa de batalhões pesados no João Paulo

Tradicional encontro de bumba meu boi de matraca, que acontece no último dia de junho, no bairro, teve de ser suspenso este ano

Ismael Araújo /O Estado

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h19
O Dia de São Marçal foi mais um dia comum de comércio frenético no bairro João Paulo, sem o tradicional encontro de bumba meu boi
O Dia de São Marçal foi mais um dia comum de comércio frenético no bairro João Paulo, sem o tradicional encontro de bumba meu boi

São Marçal

O festejo de São Marçal, 30 de junho, é um dos eventos religiosos e culturais que marcam o encerramento das festividades juninas na capital. Nesse dia, os batalhões de bumba meu boi se encontram no bairro João Paulo.

Esse evento teria surgido a partir da proibição aos grupos de bumba meu boi de seguirem para a área do centro da cidade, sob pretexto de manutenção da segurança, ordem e tranquilidade, em razão da discriminação contra a cultura popular. Como a polícia não permitia que os brincantes passassem do Areal do João Paulo, o local se tornou ponto de encontro dos grupos e foi se consolidando a cada ano e se expandindo.

Também há outra versão que o primeiro encontro de bois no João Paulo ocorreu em 29 de junho de 1928, quando os batalhões do Sítio do Apicum, o Boi do Lugar dos Índios, do povoado de São José dos Índios, em São José de Ribamar, (e talvez o Boi da Maioba) se reuniram sob o pedido de José Pacífico de Moraes, comerciante, apreciador da cultura popular, que resolveu reproduzir, em seu bairro, um encontro que já ocorria desde 1924, todo dia 29, em honra a São Pedro, na então Vila do Anil.

Com o passar dos anos, a brincadeira foi se multiplicando e sua aceitação nos bairros urbanos foi aumentando. O encontro ocorreu todos os anos até 1949, quando se transferiu para o Monte Castelo, ficando lá somente um ano. Depois, foi para o Bairro de Fátima, e passou por outros bairros até retornar ao João Paulo, em 1959. Somente na década 1980, a festa ganhou a forma que tem atualmente.

No ano de 2006, a Prefeitura de São Luís, depois de ter sancionado a lei que alterou o nome da Avenida João Pessoa para São Marçal, atribuiu à Festa de São Marçal, através da lei Nº 4.626/06, o título de bem cultural e imaterial, transformando a data no Dia Municipal do Brincante de Bumba Meu Boi. Posteriormente, foi construída uma estátua de São Marçal na região, com 5 metros de altura.

[e-s001]Boi da Maioba faz carreata para homenagear São Marçal

Em substituição à tradicional Festa de São Marçal, que ocorreria nessa terça-feira (30), o Boi da Maioba realizou uma carreata, ontem, quando também se comemora o Dia Nacional do Bumba Meu Boi e o Dia Municipal do Boieiro.

Esta foi uma forma que a agremiação encontrou para louvar o santo, uma vez que o festejo foi suspenso, em virtude da pandemia da Covid-19. A concentração dos participantes aconteceu na Praça Maria Aragão, na região central da cidade.

Conforme José Inaldo Ferreira, presidente do Boi da Maioba, a carreata percorreu alguns locais, como a Praia Grande, o Anel Viário, a Avenida das Cajazeiras, a Avenida Kennedy e pelos bairros João Paulo e Filipinho. Por onde passavam, os veículos eram recebidos com aplausos e outros gestos pelas pessoas na rua ou nos ônibus. Na Avenida São Marçal, por onde os grupos de bumba meu boi iriam se apresentar, caso a pandemia não tivesse alterado a rotina de festividades, os membros do “Batalhão Pesado” passaram de uma forma mais enérgica, pela simbologia envolvida naquela região.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.