Polícia Militar

Tropa da BPTur está nas ruas, mesmo com falta de turista na Ilha

Militares realizam policiamento ostensivo, principalmente, nos pontos históricos; cerca de 70% do efetivo sentiu sintomas da Covid-19

Ismael Araújo / O Estado

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h19
Policiais do BPTur percorrem área do Centro Histórico, com seu trabalho ostensivo mantido, mesmo com a queda drástica de turistas na Ilha
Policiais do BPTur percorrem área do Centro Histórico, com seu trabalho ostensivo mantido, mesmo com a queda drástica de turistas na Ilha (BPTur)

São Luís - O efetivo do Batalhão de Polícia Militar de Turismo (BPTur) trabalhando nas ruas foi mantido pelo comando da corporação, mesmo apresentando um número baixo de turistas na Grande São Luís, devido a pandemia da Covid-19, o novo coronavírus. Cerca de 70% da tropa teve sintomas da enfermidade. Dados da Secretaria de Estado da Saúde (SES) mostram que, até o último dia 16, havia 64.735 infectados pela Covid-19 no Maranhão, com 1.570 óbitos.

“A cidade está sem turistas em pleno período de São João”, lamentou a artesã Cláudia Maria Silva, que trabalha no Centro Histórico. Ela contou que, nestes últimos meses, está sendo rara a presença de turistas pela Praia Grande, e qu as vendas caíram bastante. O mês de junho era muito movimentado nessa localidade, com a ocorrência de eventos culturais, e era certeza de lucro nas vendas.

Nos hotéis da Ilha também não há a presença de turistas e o cenário está diferente dos anos anteriores. Neste ano, os hotéis passaram mais de 60 dias de portas fechadas e voltaram a funcionar na primeira semana deste mês, cumprindo as normas sanitárias determinadas pelo Estado.

O comandante do BPTur, coronel Honório Filho, declarou que mesmo com uma baixa demanda de turista na Grande Ilha, foi mantida a quantidade de homens da corporação nos seus pontos de serviços. A única mudança que ocorreu durante o período de pandemia foi a remoção dos militares do Grupo de Apoio aos Turistas (GAT), que trabalham diretamente com os turistas, para outro tipo de policiamento ostensivo. “O trabalho do GAT foi suspenso temporariamente, devido a baixa presença de turistas na cidade, mas, o batalhão realiza vários tipos de policiamento, tanto a pé como motorizado”, frisou o coronel.

Ele ainda comentou que cerca de 70% da tropa do BPTur sentiu os sintomas da Covid-19 e foi afastado do serviço por um período de 14 dias, mas era feita a substituição de forma imediata. “Ao passo que aparecia um policial sentindo os sintomas do coronavírus, era afastado do serviço e substituído por outro militar, para que não houvesse problemas no futuro mais próximo”, explicou o comandante.

Ocorrências
Na área em que o Batalhão de Polícia Militar de Turismo atua, há registro de ocorrências policiais que resultaram em mortes. Uma delas ocorreu na tarde da última terça-feira, 16, na Lagoa da Jansen e teve como vítima o publicitário Diogo Adriano Costa Campos, de 41 anos. Segundo a polícia, a vítima foi baleada no pescoço durante uma discussão de trânsito.

Também na Lagoa da Jansen, no mês de julho de 2018, o professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Antônio José Teixeira Guerra, foi golpeado no braço e tórax durante um assalto, e de acordo com a polícia, dois bandidos participaram dessa ação criminosa. O docente é referência nacional e internacional em Geomorfologia e estava na capital maranhense para participar de uma banca de defesa de um trabalho de conclusão de pós-graduação na Universidade Federal do Maranhão (UFMA).

Na Avenida Litorânea ocorreu o assassinato do agente penitenciário, Jorge Luís Lobo da Cunha, de 36 anos, no mês de julho de 2017. Ele foi morto a tiros e estava na companhia de sua esposa e dois amigos. Ainda no dia do crime, os militares conseguiram prender um dos suspeitos como ainda apreenderam duas armas de fogo.

Em janeiro deste ano foi encontrada morta Flor de Liz, de 59 anos, dentro de sua residência, localizada na Rua da Saúde, no Centro Histórico. A polícia informou que o corpo da vítima apresentava sinais de violência, principalmente, na cabeça e no local havia muitos objetos espalhados.

Até o segundo semestre do ano passado havia o registro frequente de casos de arrombamentos de pontos comerciais, localizados nessa localidade da cidade. Um dos alvos foi a loja Star Discos, na Rua Portugal, que é especializada na venda de roupas e acessórios de reggae. A empreitada criminosa ocorreu durante a madrugada e, de acordo com a polícia, os bandidos utilizaram um pé de cabra para arrombarem a porta central do ponto comercial. Os comerciantes exigiram a presença de militares no local e até mesmo o funcionamento do sistema de videomonitoramento da Secretaria de Segurança Pública.

SAIBA MAIS

O Batalhão de Polícia Militar de Turismo da Polícia Militar do Maranhão lançou o projeto a Rede de Contato Pela Paz, no ano de 2018, como sendo uma estratégica de polícia comunitária. Este projeto reuniu vizinhos de uma determinada localidade para atuarem em cooperação como ainda fortalecer as relações interpessoais com a cidadania ativa do bairro, rua ou prédio com o objetivo de prevenir e restaurar problemas de ordem pública, além de garantir a incolumidade física das pessoas e do patrimônio.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.