COLUNA

Tentando de novo

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h22

Os três deputados efetivamente de oposição na Assembleia Legislativa - Adriano Sarney (PV), Wellington do Curso (PSDB) e César Pires (PV) - tentarão mais uma vez convocar o representante do Instituto de Previdência dos Servidores do Estado do Maranhão (Iprev) para que seja explicada aos deputados estaduais a situação real da Previdência no estado.
Esta será a segunda tentativa. No início deste ano, os parlamentares até tentaram trazer o então presidente do instituto, Joel Benin, para mostrar os dados deficitários da Previdência no Maranhão. Após debate intenso e uma derrota certa que seria imposta pelos deputados governistas (uma boa parte de primeiro mandato, eleitos com a promessa de fazer uma nova política), que decidiram blindar o membro de primeiro escalão de Flávio Dino, um acordo foi feito entre parlamentares de que Benin deveria ir à Comissão de Administração Pública prestar os devidos esclarecimentos.
No fim, Benin nunca foi à Assembleia Legislativa e acabou sendo exonerado do cargo e enviado para outra função na Empresa de Administração Portuária (Emap).
Os deputados de oposição tiveram que ouvir, quase dois meses após a tentativa de convocação, somente as parcas explicações dos secretários Marcelo Tavares (Casa Civil) e Rodrigo Lago (Secap), que culparam administrações anteriores à de Flávio Dino e a crise nacional que sempre é “responsável” por tudo de ruim que acontece no Maranhão.
Agora, a oposição tentará mais uma vez buscar informações que deveriam ser apresentadas sem qualquer dificuldade à sociedade.
Mas o governo Dino parece ter não interesse nesses esclarecimentos do Iprev, nem de outras áreas. Titulares de outras pastas, como Educação, Saúde, Infraestrutura e Educação, são sempre blindados pelos governistas na Assembleia Legislativa.

Incoerente
O deputado federal Márcio Jerry (PCdoB) fez duras críticas ao reitor da Ufma, Natalino Salgado, por este não ter nomeado como vice-reitor o professor Alan Kardec, aliado de primeira linha de Jerry e membro do PCdoB.
O parlamentar disse que Natalino desrespeitou a escolha da comunidade universitária ao escolher o também professor Marcos Fábio (3º da lista tríplice) como vice-reitor.
Vale lembrar que o fez parte do governo de Flávio Dino que não escolheu o mais votado na lista tríplice do Ministério Público e da Defensoria Pública.

Sorteado
Ainda sobre o deputado Márcio Jerry, ele foi sorteado para compor a lista tríplice de um dos processos no Conselho de Ética contra o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP).
Com isso, o comunista pode ser o relator da ação de cassação do PSL contra o filho do presidente da República, Jair Bolsonaro.
Além de Jerry, estão na lista Eduardo Costa (PTB-PA) e Márcio Marinho (PL-BA). Um deles deverá apresentar o parecer no caso em que o PSL acusa Eduardo Bolsonaro de quebra de decoro parlamentar por ofender a deputada Joice Halssemann (PSL-SP).

Sem previsão
Caberá ao presidente do Conselho de Ética, o deputado maranhense Juscelino Filho (DEM), escolher quem será o relator de cada ação.
No caso, Márcio Jerry compõe a lista tríplice de uma das ações contra Eduardo Bolsonaro. Há uma segunda ação contra o filho do presidente por este ter citado o AI-5 em suas declarações durante uma entrevista.
Por enquanto, ainda não há previsão de data para que Juscelino Filho - que é aliado de Bolsonaro em Brasília e de Flávio Dino no Maranhão - escolha os relatores das ações contra o 03 do presidente.

Ditadura
O governador Flávio Dino (PCdoB) criticou a fala do ministro da Economia, Paulo Guedes, que citou na segunda-feira, 25, em entrevista, o AI-5. Para o governador, o AI-5 está ligado a atos repugnantes contra a sociedade, tal qual, segundo ele, representou o nazismo na Alemanha.
Não é a primeira vez que o chefe do Executivo maranhense crítica aliado de Bolsonaro. Há quase um mês, o comunista repudiou a declaração do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL).

Comunicação e nazismo
O deputado estadual Wellington do Curso (PSDB) usou a tribuna ontem para criticar a elevação dos investimentos, prevista no orçamento estadual, para a comunicação governamental no ano que vem.
Para o tucano, Flávio Dino usa a máquina pública como Hitler fazia à época do nazismo. Segundo Wellington, não se justifica a elevação nos investimentos para mostrar um “Maranhão que não existe”.
Até o fechamento desta edição, o governador não respondeu às críticas do deputado tucano.
Recadastramento
A partir da próxima segunda, 2, eleitores de mais sete municípios maranhenses poderão realizar seus recadastramentos biométricos obrigatórios em Imperatriz. O prazo final é dia 12 de dezembro.
Essa ação continua sendo parte do projeto-piloto do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) que possibilita o recadastramento biométrico em cidades diferentes do domicílio regular.
O eleitor deve comparecer portando originais e cópias de documento oficial com foto e comprovante de residência do município onde vota.

DE OLHO

40% os servidores públicos terão as alíquotas de contribuição previdenciária aumentadas, segundo informou o líder do governo na Assembleia Legislativa, Rafael Leitoa (PDT).

E MAIS

• O senador Roberto Rocha (PSDB-MA) mantém a linha de apoio a qualquer custo ao presidente Jair Bolsonaro.

• Dessa vez o tucano declarou apoio incondicional ao pacote anticrime do ministro da Justiça, Sergio Moro.

• Rocha deve fazer uma “campanha” no Senado quando a proposta começar a tramitar na Casa e, como líder do PSDB, deve trabalhar para que o partido apoie a proposta de Moro.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram, TikTok e canal no Whatsapp. Curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.