COLUNA

Exposta

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h22

Aquela que parece ter sido a primeira precipitação do período chuvoso de São luís expôs ao ridículo (mais uma vez) a Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema).
No Cohatrac, dois fatos confirmaram isso na tarde de ontem. No primeiro caso, um ônibus foi “engolido” pelo buraco de uma obra iniciada, mas não concluída pelo órgão. Em outro ponto do mesmo bairro, o registo de uma tubulação de água que se rompeu e danificou o asfalto recém-colocado pela Prefeitura de São Luís.
A má qualidade do serviço prestado pela Caema tem sido mais fortemente evidenciada nos últimos meses em razão do trabalho do Município pela pavimentação de ruas e avenidas da cidade. Após verem o asfalto chegando a suas portas, cidadãos ludovicenses têm se indignado e registrado obras da empresa em locais recém-asfaltados.
Quase sempre, a recuperação de pontos danificados para obras da Companhia fica muito aquém do exigido - e normalmente só ocorre com algum capricho quando a população ou a imprensa estão fiscalizando de perto.
E a prova disso é o que ocorreu no Cohatrac. Por lá, não se tinha notícias dessas “obras” da Caema. Mas bastou uma rápida chuva para provar que, de fato, qualidade não é o forte do órgão.

Nada disso
O deputado federal Aluisio Mendes (PSC) emitiu ontem nota oficial na qual nega que tenha sido convidado a filiar-se ao Aliança pelo Brasil, partido do presidente Jair Bolsonaro.
O parlamentar foi convidado a participar do evento de lançamento da sigla - que ainda depende de assinaturas para ser registrada -, e esteve presente ao ato.
Mas garante que o convite, feito pelo também deputado federal Eduardo Bolsonaro, foi apenas para participação na festa de lançamento da legenda, não para filiação.

Uma arara I
O governador Flávio Dino (PCdoB) não gostou nada da postura da bancada do PL - partido do deputado federal Josimar de Maranhãozinho - na votação da reforma da Previdência do Maranhão.
Os deputados da sigla - Detinha, Leonardo Sá, Hélio Soares e Vinícius Louro - não apareceram para votar a favor do projeto do governo na quarta-feira, 20.
Um dia antes, na terça-feira, 19, já haviam deixado o plenário ante a possibilidade de apreciação da matéria.

Uma arara II
Por conta da postura do partido, Flávio Dino demonstrou sua insatisfação à secretária de Agricultura, Fabiana Rodrigues.
Indicada por Maranhãozinho para o posto, ela revelou a aliados que ouviu do comunista reclamações após o episódio.
Disse a titular da Sagrima que Dino comentou que não aceita que quem é governo aja como se oposição fosse.

Renegociação
O deputado Gastão Vieira (Pros) defendeu na Comissão Especial de Educação que estudantes inadimplentes do Fies também sejam beneficiados com a conciliação de dívidas da Caixa Econômica.
A ação garantiu um abatimento de até 90% da dívida para pessoas físicas e jurídicas em outubro deste ano. Segundo estimativa do banco, os débitos somavam R$ 6,6 bilhões e foi concedido desconto de até 90%.
Para Gastão, esse tipo de medida precisa olhar para o estudante, pois muitos já saem da universidade endividados e com dificuldade de entrar no mercado de trabalho.

Irados
Membros das carreiras militares do Maranhão estão irados com os deputados federais Márcio Jerry (PCdoB) e Bira do Pindaré (PSB).
Ambos aliados do comandante e chefe da Polícia Militar do Maranhão, o governador Flávio Dino, ele posaram na Câmara ao lado de charge que ataca PMs, retratando-os como racistas e assassinos de negros.
Intitulado “Genocídio da população negra”, o cartaz está no centro de uma polêmica depois de haver sido arrancado pelo deputado Coronel Tadeu - o que é, também, reprovável.

Aderiu
São Luís foi um dos municípios que aderiram e foram contemplados pelo Programa Nacional das Escolas Cívico-Militares, do Ministério da Educação (MEC).
Ao todo, 23 estados e o Distrito Federal ganharão unidades de ensino do programa, idealizado pelo presidente da República, Jair Bolsonaro. Apenas Piauí, Sergipe e Espírito Santo ficaram de fora da iniciativa.
A rede estadual de ensino do Maranhão, por recusa do governador Flávio Dino (PCdoB), não terá nenhuma escola cívico-militar financiada pelo MEC.

DE OLHO

70 mil é o número aproximado de servidores estaduais do Maranhão que pagarão contribuição maior à Previdência local após reforma proposta pelo Governo do Estado.

E MAIS

• Com pré-candidatos em baixa, o Palácio dos Leões segue soltando informes (não confirmados por ninguém) de pesquisas que favoreceriam seus aliados..

• Uma sindicância aberta pelo presidente do TJMA, desembargador José Joaquim Figueiredo dos Anjos, deve apurar supostas irregularidades no uso de veículos oficiais.

• A senadora Eliziane Gama (Cidadania) já começa a ser admitida entre governistas como possível candidata a governadora em 2022.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram, TikTok e canal no Whatsapp. Curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.