Opinião | Artigo

Pesquisa premiada

19/10/2019

William Kaelin e Gregg Semenza, dos Estados Unidos, e Sir Peter Ratcliffe, do Reino Unido. Esses são os nomes dos renomados cientistas que lograram o Nobel de Medicina, neste ano, em decorrência do estudo que analisa a percepção e adaptação de nossas células aos níveis de oxigênio disponíveis no ambiente. O mérito do estudo leva em conta o início do caminho para a resolução de problemas como anemia, câncer e também para situações mais corriqueiras, como as vividas por aqueles que encaram altitudes, onde o ar é rarefeito. Juntos, eles receberão 9 milhões de coroas suecas (aproximadamente R$ 3,7 milhões).

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte