Artigo

Homenagem ao professor

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h22

Falar do magistério neste país não tem representado um reconhecimento a um profissional que cuida da riqueza da nação, que se preocupa com os jovens, portanto, com o futuro do país. São homens e mulheres combatentes e idealistas. No século XX, tivemos grandes figuras de docentes que além de se destacarem deixaram um legado precioso para a educação brasileira. Eles foram: Paulo Freire, educador pernambucano (1921-1997) que se tornou uma inspiração para os professores. Paulo Freire desenvolveu um método inovador de alfabetização. Anísio Teixeira, educador baiano (1900-1971) deixou-nos o conceito de escola democrática gratuita e para todos. Fundou a Universidade de Brasília em 1961, e a CAPES, tendo, também, participado da elaboração da Lei de Diretrizes e Bases da Educação em 1961. Darcy Ribeiro, educador mineiro, foi defensor da escola pública, o primeiro reitor da UnB, Ministro da Educação e criou os Ciepes no Rio de Janeiro.

É muito comum se ouvir dos autores as deficiências, no Brasil, relacionadas com a gestão do conhecimento, às instituições de ensino, desde a primeira escola à universidade, e a atuação do professor na escola. Um professor deverá pautar sua formação em pontos que são essenciais para o cumprimento de sua missão. Comumente são citados a educação e o conhecimento como estratégia inseparável para a promoção da inovação e a valorização do saber pensar, é o que se diz aprender a aprender; a escola inovadora e não instrutiva; a pesquisa como instrumento de reconstrução do conhecimento. Ao defender o perfil do professor Pedro Demo diz que pesa muito a tradição da aula reprodutiva, considerada ainda pela maioria como pedagogia fundamental.

O magistério não vive apenas de idealismo. Ele é uma profissão que garante ou deve garantir o sustento de famílias inteiras. O magistério não é formado por semeadores ou cavaleiros da esperança, ele é integrado por pais de família, profissionais exclusivos, homens e mulheres normais que precisam de salários para sobreviver e enfrentarem o dia a dia. Educar é preparar para a vida. É oportunizar ao educando uma visão de que a vida deve ser vivida com prazer e não com medo, com liberdade e não com preconceitos, com esperança e não com pessimismo. Todo professor deverá ser um sábio. Sem sabedoria não existe magistério. Para alguns, ele é o elo mais forte entre o presente e o futuro. Para outros, o professor é sempre um grande líder quando sugere caminhos, mas poucos, muitos poucos, falam do seu difícil dia a dia.

Pelo que pensam, pelo que dizem e pelo que fazem, os professores, em qualquer sala de aula, são sempre criadores de novas idéias, formadores de opiniões e excelentes praticantes do dialogo. Poetas dizem que o professor e uma soma de tudo - pai, orientador, psicólogo, condutor, amigo e mestre. Seu palco é a sala de aula. O professor dá um espetáculo onde não ouve as palmas, porque elas são silenciosas como silenciosa é a arte de aprender.

Aldy Mello

Ex-reitor da UFMA e do CEUMA, fundador da ALL e membro efetivo do IHGM

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.