Segurança

Comerciantes e clientes querem mais ações de segurança na Rua Grande

Maior via do centro comercial da capital se tornou mais atrativa após a reforma; Secretaria de Estado de Segurança Pública informou que a vigilância é feita inclusive durante a noite

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h23
Policiais militares fazem ronda na Rua Grande, mas consumidores e comerciantes ainda apontam problemas
Policiais militares fazem ronda na Rua Grande, mas consumidores e comerciantes ainda apontam problemas

SÃO LUÍS- Vendedores e transeuntes exigem um maior efetivo de policiais militares e a instalação, de imediato, do sistema de videomonitoramento, para a maior via do centro comercial varejista da cidade, a Rua Grande. O local recentemente passou por uma reforma e se tornou mais atrativo. Mais de 80 mil pessoas circulam diariamente por essa via e, em períodos festivos, como aqueles que antecedem o Natal e o Dia das Crianças, chegam a transitar até 150 mil pessoas.

“Antes, o povo estava frequentando mais os shoppings, mas o movimento voltou a ser mais intenso na Rua Grande após a reforma. O local está atraindo mais consumidores”, contou a vendedora Ana Karla Torres, de 31 anos. Ela ainda disse que, devido a intensa circulação de pessoas, a polícia deveria disponibilizar um efetivo maior para a área, além de viaturas.

A vendedora comentou que, anteriormente, ao longo da Rua Grande, havia cabines com a presença de dois ou mais militares e, nas proximidades desse local, funcionava à sede de uma companhia da Polícia Militar. “Eles retiraram as cabines e a polícia não deu nenhum tipo de satisfação para a população”, reclamou a vendedora.

Outro comerciante, Edson Serra, de 42 anos, informou que há presença de miliares e de guardas municipais circulando a pé durante o período da manhã e tarde, mas Secretaria de Segurança Pública deveria instalar o sistema de videomonitoramento na Rua Grande. “A presença de câmeras inibe até mesmo as ocorrências de furtos e roubos. O criminoso fica com receio de ser reconhecido e preso”, alertou o comerciante.

Marcial Silva, de 35 anos, comentou que durante o período festivo os criminosos costumam realizar pequenos furtos na localidade. Celulares, bolsas, cordões e pulseiras são o foco de assaltantes. “O sistema de videomonitoramento diminuiria muito as ocorrências dos pequenos furtos e até mesmo os casos de arrombamento de lojas”, explicou o vendedor.

Câmeras
Empresários instalaram câmeras na porta de suas lojas da Rua Grande para evitar os pequenos furtos, assim como as ocorrências de arrombamento. Um dos donos desses pontos comerciais, que não quis se identificar, disse que alguns bandidos entravam em sua loja para furtarem roupas, mas, após a instalação de câmeras diminuiu esse tipo de ação criminosa.

Um empresário, que não quis se identificar, frisou que o seu empreendimento, em menos de seis meses, foi arrombado duas vezes, mas, depois de instalar o sistema de câmera não ocorreu mais assalto. “Os assaltos acabam resultando grande prejuízo para o empresário”, afirmou.

Arrombamento
Uma série de arrombamento a pontos comerciais foi registrado na área do centro da capital, principalmente, na Rua Grande e adjacentes durante o primeiro semestre deste ano. Um desses casos ocorreu em plena madrugada do dia 13 de maio e o alvo foi uma loja de eletrodomésticos.

De acordo com os funcionários deste ponto comercial, os criminosos retiraram a grade de ferro, que protegia a porta da frente, conseguiram quebrar os cadeados e, logo após, tiveram acesso à parte interna da loja.

Mais segurança
O presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL), Fábio Ribeiro, declarou que a CDL tem acompanhando as ações de todos os órgãos e visando dotar a Rua Grande da infraestrutura indispensável. Enquanto, a segurança é um dos requisitos fundamentais e compete ao poder público disponibilizar.

Ele ainda afirmou que o poder público deve proporcionar um efetivo de policiais que possa garantir a segurança e a população possa aproveitar bem o potencial do novo espaço. “Temos a expectativa de aumento de movimento a partir de agora. A CDL vai buscar o diálogo com os órgãos de segurança para viabilizar aos comerciantes e consumidores um ambiente seguro para as compras de Natal e do Dia das Crianças”, disse o presidente da CDL.

Revitalização
A Rua Grande ganhou uma nova sinalização viária, turística e rede de iluminação pública. O local também ganhou um serviço de drenagem fluvial, novo piso, novos equipamentos urbanos, esgotamento sanitário, fiação elétrica embutida e postes modernos.

O serviço faz parte do projeto de revitalização do Complexo Deodoro-Rua Grande. Na obra, executada pelo Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), coube a Prefeitura de São Luís toda a logística e estrutura operacional para a realização dos serviços e à gestão municipal a manutenção do complexo.

O projeto de revitalização abrange uma série de ações que somam mais de R$ 51 milhões em investimento. Desta quantia, R$ 38 milhões vieram do Governo Federal. Com a conclusão da reforma de quase 34 mil m² do Centro Histórico, que vão do Largo do Carmo até o cruzamento com a Rua do Passeio, além do Complexo Deodoro, a obra finaliza com a implantação de fachadas e revisão dos sistemas de saneamento básico e de sinalização.

Videomonitoramento
O Sistema de Videomonitoramento foi instalado em setembro de 2012 em vários pontos da capital maranhense, mas, até o momento não foi instalado ao longo da Rua Grande. Esse sistema de câmera dispõe de tecnologia de alta voz com interação direta da população com o centro de comando, permitindo, ao longo dos anos, agilidade nas ocorrências, atuando como um canal de comunicação entre o cidadão e o Estado.

Nos seus primeiros quatro meses, o Centro de Comando e Controle do Videomonitoramento da Região Metropolitana registrou 1.222 eventos, fatos ou incidentes captados pelas câmeras de segurança móvel. No primeiro mês, foram contabilizadas 312 ocorrências. Já no terceiro, o balanço foi fechado com 928 eventos. Nesse mesmo período, o Ciops contabilizou 627 intervenções da Polícia Militar.

A população pode acionar o Ciops por meio de um botão fixado nos postes que servem de suporte para as câmeras. Quando o botão é apertado, automaticamente a ligação é direcionada para a Central e o operador consegue ver e se comunicar com o cidadão. E, caso seja necessário, a Central enviará uma equipe para realizar o atendimento. Cada poste contempla um sistema de alta voz, microfone, corneta e alto-falante, interligados com o Ciops por meio de sinal digital, proporcionando a população um novo canal efetivo de segurança.

Em nota enviada a O Estado, a Secretaria de Estado de Segurança Pública informou que a vigilância na área é feita diariamente.

A Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP-MA) informa que a segurança na área do Centro Comercial é feita com policiais a pé, em viaturas e motocicletas do 9º Batalhão da Polícia Militar (BPM), Batalhão Tiradentes e Companhia de Polícia Militar de Turismo Independente (CPTur).

A Polícia Militar do Maranhão (PMMA) realiza rondas e incursões durante o dia e à noite, para coibir ações criminosas, inclusive arrombamentos a estabelecimentos comerciais. No período de maior movimentação, com atenção aos horários de abertura e fechamento das lojas, o comando do 9º BPM tem reforçado o policiamento na Rua Grande e adjacências.

A Polícia ressalta, ainda, que uma análise está sendo realizada para que estratégias sejam criadas visando melhorar ainda mais o policiamento na região. Em breve, as mudanças serão anunciadas.
A PM reforça que as eventuais vítimas devem registrar boletim de ocorrência no distrito policial mais próximo, para que sejam mapeados os pontos em que os delitos acontecem com maior frequência.

“Antes o povo estava frequentado mais os shoppings, mas o movimento voltou a ser mais intenso na Rua Grande após a reforma. O local acabou atraindo mais consumidores”.Ana Karla Torres – vendedora

Fala, povo

Qual o tipo de procedimento que a polícia deve adotar para melhorar a segurança na Rua Grande?

Maria José Silva, aposentada
Maria José Silva, aposentada

Deveria ter mais policiais na rua do comércio da capitalMaria José Silva, 80 anos, aposentada
[e-s001]

Além de empregar mais militar e deveria instalar o sistema de videomonitoramentoCristian Nunes, 20 anos, vendedor
[e-s001]

As câmeras inibiriam as ações de assaltantesReginaldo Pereira, 28 anos, vendedor

Cristian Nunes quer mais policiamento
Cristian Nunes quer mais policiamento
Mais policiais e viaturas circulando 24 horas pela ruaJuscilene Veras, 33 anos, doméstica

Número

80 mil pessoas circulam diariamente em dias normais pela Rua Grande

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.