Polícia | Julgamento

Acusado pela morte de terceirizados da Cemar vai a júri em outubro

Sessão do Tribunal do Júri Popular será dia 3 no fórum da 2ª Vara Criminal, e será presidido pelo juiz Roberto de Paula; crime teve repercussão na Ilha
Ismael Araújo13/08/2019
Acusado pela morte de terceirizados da Cemar vai a júri em outubroPablo Martins Silva, o De Menor será julgado em outubro (Divulgação)

SÃO LUÍS - O Poder Judiciário marcou para o dia 3 de outubro deste ano o julgamento do faccionado Pablo Martins Silva, o De Menor, de 18 anos, denunciado pela morte dos funcionários de uma empresa prestadora de serviço da Cemar, João Victor Melo e Francivaldo Carvalho da Silva. O júri vai ocorrer no Fórum de Paço do Lumiar, e será presidido pelo juiz da 2ª Vara Criminal de Paço do Lumiar, Roberto de Paula.

De acordo com o inquérito, ele, em companhia de seu irmão, um adolescente de 16 anos, praticaram o crime no dia 15 de janeiro deste ano, no Sítio Natureza. Eles foram mortos por terem cortado a energia elétrica da residência da namorada do acusado, nessa localidade.

Nesse julgamento, a promotora de Justiça, Raquel Castro, será a representante do Ministério Público, enquanto a defesa do réu vai ser feita por um defensor público. Também serão ouvidas oito testemunhas, entre elas, o irmão do suspeito, o adolescente, de 16 anos, que participou do crime.

Prisão

De Menor está preso no Complexo Penitenciário de Pedrinhas desde o dia 22 de janeiro deste ano, data da sua prisão. Ao depor na Superintendência de Homicídio e Proteção a Pessoas (SHPP), que investigou o caso, ele disse que decidiu praticar o crime por estar com raiva devido as vítimas terem cortado a energia elétrica da residência onde o seu filho estava dormindo, no Sítio Natureza. Ele confirmou que o seu irmão também atirou nas vítimas.

O irmão de Pablo Martins foi apreendido no dia 17 de janeiro pela Polícia Civil na residência de uma tia, no Paranã, em Paço do Lumiar. Ele foi apresentado na SHPP, onde afirmou que no dia do crime estava jogando videogame em companhia de colegas na Rua A, no Sítio Natureza, quando foi procurado por De Menor para cometerem o duplo assassinato.

O apreendido declarou, ainda, que abordaram as vítimas dentro do veículo da prestadora de serviço para a Cemar, um Fiat Mille, de placas OJG-2736, na Rua B, do residencial e ali mesmo os mataram. Segundo ele, Pablo Martins teria disparado os três primeiros tiros e ele completou o serviço. Em relação a arma utilizada no crime o adolescente afirmou que estava com seu irmão, mas nunca foi localizada pela polícia.

Mais julgamento

Nesta quarta-feira, 14, o auxiliar administrativo Carlos Diego Araújo Almeida, de 25 anos, vai ser submetido a Júri Popular pela morte de Laura Burnett Marão, e pela tentativa de homicídio do irmão dela, Felipe Burnett Marão, ambos de 8 anos (gêmeos). Ela morreu em um acidente de trânsito, ocorrido na madrugada do dia 26 de abril de 2015, na Avenida Jerônimo de Albuquerque, no Bequimão, provocado pelo acusado.

O julgamento vai ocorrer no Fórum Desembargador Sarney Costa, no Calhau, e vai ser presidido pelo juiz da 4ª Vara do Tribunal do Júri, José Ribamar Goulart Heluy Júnior. Na sessão, o magistrado vai ouvir as testemunhas, entre elas o pai da vítima e o próprio acusado. Em seguida, o juiz vai abrir espaço para a defesa e representantes do Ministério Público. Somente após essa etapa que vai ser dita a sentença do júri.

Denúncia

Segundo a denúncia do Ministério Público, na madrugada do dia 26 de abril de 2015, na Avenida Jerônimo de Albuquerque, no Bequimão, nas proximidades do supermercado Atacadão Nordeste, Carlos Diego Araújo Almeida conduzindo uma caminhonete MMC/L-200, Triton, no sentido elevado da Cohama-Cohab, em alta velocidade, colidiu o seu carro com três veículos que se encontravam parados, já que sinal de trânsito está fechado.

A caminhonete dirigida pelo denunciado chocou-se contra um veículo Classic, um Sandeiro, no qual estavam às vítimas, e por último um Fox. Laura Burnett ficou gravemente ferida e foi levada para um hospital particular na capital, mas morreu quatro dias depois. Já o irmão dela sofreu lesões e a outra criança que estava no carro nada sofreu.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte