Afogamento

Duas crianças morrem afogadas em açude no interior do Maranhão

Tragédia ocorreu no povoado Morada Nova, em São Domingos do Maranhão; este ano, nove crianças já morreram afogadas em todo o estado

Ismael Araújo

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h24
Yuri Dias e Lourran Dias, vítimas de afogamento em açude em São Somingos
Yuri Dias e Lourran Dias, vítimas de afogamento em açude em São Somingos (Crianças)

SÃO DOMINGOS DO MARANHÃO - Julho é o mês das férias escolares e as crianças aproveitam esse período para o seu lazer e descanso. Os pais devem ficar em alerta para que não haja nenhuma tragédia que possa atrapalhar a diversão dos filhos, principalmente em casos de afogamentos. Somente este ano, nove crianças já morreram afogadas no estado. O último caso ocorreu nesta quinta-feira, 18, no povoado Morada Nova, zona rural de São Domingos do Maranhão, vitimando os primos Yuri Dias Albuquerque, de 6 anos, e Lourran Dias Albuquerque, de 7 anos.

A ocorrência foi registrada na delegacia dessa cidade. A polícia informou que as crianças foram a um açude, nas proximidades de sua residência sem a companhia dos pais. Elas ainda foram vistas por populares quando banhavam no açude, mas horas depois foram encontradas na água, desacordadas.

Yuri e Lourran foram retirados da água e levados para o hospital da cidade, onde os médicos ainda tentaram reanimá-los, mas não conseguiram. Os corpos foram, então, liberados para os familiares e nesta sexta-feira, 19, foram sepultadas no cemitério da cidade.

Piscina

Somente na cidade de Santa Inês ocorreram dois registros de afogamento em piscina neste ano. Um dos casos ocorreu no dia 1º de maio e a vítima foi uma criança de um ano e seis meses. A criança estava tomando banho na piscina de sua residência, sob a companhia dos pais, mas em determinado momento, desapareceu, e quando foi encontrada estava boiando. Ela ainda foi levada para o hospital do município, mas chegou sem vida.

O outro caso ocorreu no dia 11 de fevereiro e a vítima foi Ana Júlia Leal, de um ano e oito meses. Ela morreu afogada após cair na piscina de sua residência, quando brincava na área de lazer com a irmã mais velha de 4 anos, sob os cuidados da mãe.

De acordo com a polícia, a mãe das crianças, ao deixar o local por alguns minutos para pegar um celular, a tragédia ocorreu. Ela encontrou a filha se afogando na piscina e ao chegar ao hospital já estava sem vida.

Área de banho

Os moradores do interior costumam levar os filhos nos fins de semana para área de banho em rios. No dia 27 de março, na zona rural de Timon, ocorreu a morte de Cristiano Oliveira, de 35 anos; e de seus filhos Michel Oliveira, de 5 anos, e Yago Railan, de 6 anos.

As crianças entraram em uma parte funda do riacho e o pai, ao tentar salvá-las, também se afogou. Os corpos foram resgatados e levados para o Instituto Médico Legal (IML) de Timon.

Segundo o Corpo de Bombeiros Militar, o riacho é considerado raso, mas no período de chuvas algumas áreas chegam a atingir até cinco metros. Outra tragédia ocorreu no povoado Castelo, zona rural de Aldeias Altas, no dia 6 de março. A vítima foi uma menina de 1 ano de idade, que afogou-se em uma cacimba, nas proximidades de sua residência.

Ela havia saído de casa sem que os pais percebessem e ao chegar na cacimba, escorregou e caiu na água. Um morador ao passar pelo local encontrou a criança boiando. Os pais foram comunicados e a polícia acionada. Peritos do Instituto de Criminalística foram ao local e o corpo da criança foi levado para o Instituto Médico Legal (IML) de Caxias para a autópsia.

Naufrágio

Ainda em março, no dia 20, uma canoa naufragou no campo alagado entre os povoados de Prequeú e São Cristóvão, zona rural de Viana, resultando na morte de Maria Eduarda Costa Sousa, de 6 meses, e Maria Fernandes, de 2 anos, filhas do casal Mendes Pereira e Vanilde Jansen Costa que também morreu. Carlos Bispo Magalhães Sousa, de 50 anos, que conduzia a embarcação, também morreu.

Segundo o major Fábio, comandante do 36º BPM, chovia e ventava forte quando a canoa saiu do povoado Prequeú com destino a São Cristóvão, em Viana, mas antes de concluírem o trajeto ocorreu o naufrágio.

Saiba mais

Dicas para evitar afogamento: conhecer bem a área de banho; verificar se há algum tipo de tronco ou buraco no açude ou no rio; os pais das crianças não podem ingerir bebida alcoólica em demasia quando as crianças estiverem banhando em açude, praia ou piscina; cuidado durante travessia de embarcação e o uso é essencial de colete salva-vida.

Box

Crianças mortas por afogamento este ano no estado

Santa Inês: Dois casos foram registrados na cidade, um no dia 1º de maio e o outro em fevereiro.

Timon: Michel Oliveira, de 5 anos, e Yago Railan, de 6 anos, que morreram em companhia do pai, Cristiano Oliveira, de 35 anos, quando tomavam banho em um riacho, no dia 27 de março.

Viana: uma canoa naufragou no dia 20 de março, resultando na morte de Maria Eduarda Costa Sousa, de 6 meses, e Maria Fernandes, de 2 anos, filhas do casal Mendes Pereira e Vanilde Jansen Costa, que também morreu.

Aldeias Altas: no povoado Castelo, uma menina, de 1 ano de idade, morreu afogada ao cair dentro de uma cacimba, no dia 6 de março.

São Domingos do Maranhão: Yuri Dias Albuquerque, de 6 anos, e Lourran Dias Albuquerque, de 7 anos, morreram quando tomavam banho em um açude, nesta quinta-feira, 18.

Número

9

é o número de crianças já morreram afogadas durante este ano no estado

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.