Empreendimentos

Maranhão tem 10 projetos de geração de energia cadastrados em leilão

Segundo informações da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), os empreendimentos maranhenses, de fontes eólica e térmica a gás natural, totalizam capacidade de 2.058MW de energia; certame está previsto para o dia 17 de outubro deste ano

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h24
Parque eólico localizado em Paulino Neves, matriz que terá oito projetos participando do Leilão de Energia Nova
Parque eólico localizado em Paulino Neves, matriz que terá oito projetos participando do Leilão de Energia Nova

Dez projetos do Maranhão de matriz eólica e térmica a gás natural, visando a oferta de 2.058MW de energia, foram cadastrados para participação no Leilão de Energia Nova “A-6” de 2019, segundo a Empresa de Pesquisa Energética (EPE). O certame está previsto para ser realizado em 17 de outubro, com participação das fontes hidrelétrica (com capacidade instalada de 1 a 50MW), eólica, solar fotovoltaica e termelétrica a biomassa, carvão mineral nacional e gás natural.

A maior oferta entre os 10 projetos do Maranhão é de fonte eólica, com oito empreendimentos cadastrados, totalizando 183MW. No entanto, apenas os dois projetos de matriz térmica a gás natural terão capacidade para 1.875MW de geração de energia.

No geral, foram cadastrados 1.829 projetos de 22 estados, totaliz ando 100.874 MW de capacidade instalada. As fontes eólica e solar fotovoltaica foram as que apresentaram as maiores ofertas de projetos cadastrados, com 845 e 825 cada, respectivamente. Em termos de capacidade, destaca-se a fonte termelétrica a gás natural, com pouco mais de 41GW. Empreendimentos fotovoltaicos superaram os 29GW instalados, enquanto os empreendimentos eólicos ficaram pouco acima dos 25GW.

Do total de projetos cadastrados, 74,7% optaram por aproveitar o cadastramento oriundo do Leilão de Energia Nova A-4 de 2019, conforme preconizado no art. 3°, §§ 3° e 4º, da Portaria MME n.o 222/2019. Esses projetos foram dispensados da reapresentação da totalidade dos documentos, desde que mantidas inalteradas suas características técnicas em relação aos projetos cadastrados no Leilão A-4 de 2019. Nesses casos, os empreendedores realizam todo o processo exclusivamente por meio do Sistema AEGE e eventuais documentos complementares deverão ser enviados à EPE por e-mail (aege@epe.gov.br).

Esse procedimento traz otimização ao processo de análise técnica, diminuindo a necessidade de retrabalho e aumentando sua eficiência, tanto para os empreendedores quanto para a EPE, permitindo um cronograma mais enxuto para o leilão.

Cabe destacar que o fato de um empreendimento ter sido habilitado tecnicamente em um certame não acarreta sua habilitação automática para o certame seguinte. Todos os projetos serão objeto de nova análise, porém, os que aproveitaram os documentos terão suas análises centradas em parâmetros específicos do leilão, como cronograma, orçamento e ponto de conexão.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.