Política | Acabou

Senado extingue empresa espacial Alcântara Cyclone

Empresa binacional funcionou por meio de um tratado firmado entre a Ucrânia e o Brasil e consumiu quase R$ 500 milhões dos cofres públicos
Ronaldo Rocha da editoria de Política18/04/2019

O Senado Federal aprovou a Medida Provisória nº 858/2018, de autoria do Poder Executivo, e extinguiu o acordo firmado entre Brasil e Ucrânia em 2003 para exploração do Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), distante 90,4 quilômetros de São Luís.
Os senadores maranhenses Roberto Rocha (PSDB) e Eliziane Ga­ma (Cidadania) participaram ativamente das discussões e defenderam a extinção da empresa binacional Alcântara Cyclone Spa­ce, que fracassou na tentativa de lançamento de foguetes do solo maranhense. O texto agora seguirá para promulgação.
Roberto Rocha, presidente da Comissão Mista que analisou a MP, afirmou na ocasião das discussões que a proposição tratava exclusivamente da extinção da Cyclone Space e não do acordo recentemente firmado entre o Brasil e os Estados Unidos para a exploração do Centro de Lançamento de Alcântara.
Logo em seguida, ele se manifestou em seu perfil em rede social sobre o tema. “Aprovamos a Medida Provisória que extingue a empresa espacial Alcântara Cyclone Space, criada a partir do acordo Brasil-Ucrânia, em 2003, e que não trouxe nenhum avanço ao setor, pelo contrário, consumiu milhões de reais dos cofres brasileiros”, disse.
A senadora Eliziane Gama também citou o elevado investimento na empresa firmada junto a Ucrânia e que não apresentou resultados práticos para o Brasil.
“O Brasil investiu R$ 483 milhões na capitalização da ACS para que nenhum foguete fosse lançado co­mo contrapartida do investimento”, disse.
A parlamentar afirmou que guar­da expectativa a respeito do novo acordo de exploração do CLA de Alcântara pelos EUA.
“Esperamos e sonhamos que este novo acordo que está a vir para esta Casa seja efetivado. Não seja aprovado e nenhum foguete seja lançado no espaço. Queremos que o investimento chegue no Maranhão e a tecnologia possa estar acessível ao Brasil, ao Maranhão e a Alcântara”, pontuou.
Favorável à extinção da Cyclone Space, o senador Esperidião Amin (PP-SC) ressaltou que o objetivo da MP foi muito restrito, ao focalizar o encerramento das atividades criadas para que o Brasil fosse parceiro da Ucrânia.
Ex-ministro da Defesa, o senador Jacques Wagner (PP-BA) disse que a MP teve por objetivo exatamente tratar do espólio das consequências do encerramento da empresa.
Já o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) lembrou que a MP formalizou uma decisão ocorrida em 2015, por meio de decreto brasileiro que apontou a inviabilidade comercial do acordo com a Ucrânia.
A aprovação da MP também foi comemorada pelos senadores Wellington Fagundes (PR-MT) e Major Olímpio (PSL-SP).

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte