COLUNA

Laranjal no MA?

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h26

A Procuradoria Regional Eleitoral (PRE) informou ao Estadão, no último fim de semana, que a ex-candidata a deputada estadual pelo PRB, no Maranhão Marisa das Rosas é beneficiária do Bolsa Família. Ela recebeu quase R$ 600 mil para a sua campanha eleitoral e teve 161 votos apenas, mesmo depois de ter mandado confeccionar 9 milhões de santinhos em sua campanha pela Assembleia Legislativa.
Diante de tantas revelações, o presidente estadual do PRB no estado, deputado federal Cléber Verde, mantém o silêncio para explicar tanto dinheiro vindo do fundo partidário para um resultado tão inexpressível. O máximo que Verde chegou a dizer é que a corrida por um mandato eletivo é imprevisível.
Explicação pouca para tanto dinheiro. Muito dinheiro para tão poucos votos. Uma candidata, que teve tamanho investimento, afirmou somente que confiou no partido.
Realmente, é necessário que o Ministério Público Eleitoral investigue a fundo como ocorreu a divisão dessa verba do fundo partidário, que do total destinado ao PRB no Maranhão, 39% ficou com Marisa das Rosas, fato que levou a procuradoria a levantar suspeita de candidatura laranja no PRB.
Que Marisa das Rosas se explique mais que o presidente Cléber Verde, que, do alto de seu quarto mandato de deputado federal, não explicou nada. Ele simplesmente esquece que é um homem público e - devido a isto - precisa dar explicações a sociedade.

Demagogia comuna
Mesmo tendo Cléber Verde como aliado, o governador Flávio Dino ainda se atreve a comentar o suposto laranjal do PSL em Pernambuco.
Não que o comunista não possa fazer, mas se não direciona sua metralhadora de críticas a um aliado, que preside um partido que tem uma candidata na mesma situação da candidatura em outro estado, faz do discurso apenas uma demagogia.
No ditado popular, o “pau que dá em Chico é o mesmo que dá em Francisco”. Então, ou Dino esquece o partido do presidente Jair Bolsonaro (PSL) ou, ao criticar, que faça com todos na mesma situação.

Até parece
O agora secretário de Estado das Cidades, Rubens Júnior, diz que não se volta - agora - para a as eleições de 2020.
O comunista, visto como possível candidato de Flávio Dino em São Luís, garante que seu foco é somente a Secid.
O que Rubens Júnior não diz é que uma secretaria como esta lhe permite fazer muita política que possa favorecer uma eventual candidatura para suceder Edivaldo Júnior na capital.

Recuou
Falando em eleição, Flávio Dino parece ter recuado de sua precoce campanha de candidato à Presidência da República.
Em entrevista antes da cerimônia de posse, o comunista disse que seu foco é o governo do Maranhão e que uma eventual candidatura a presidente ainda é algo distante, do futuro.
Dino decidiu falar isso porque foi criticando devido à campanha antecipada e os problemas sociais e econômicos pelos quais passa o Maranhão.

Preparado
Enquanto Rubens Júnior e Flávio Dino recuam de uma campanha precoce, o vice-governador Carlos Brandão (PRB) já pensa em assumir o governo do Maranhão em 2022.
Brandão tem previsão de ser governador a partir de abril de 2022, o que, pela legislação eleitoral vigente, é o prazo máximo para que chefes de Executivo se desincompatibilizem para disputar o pleito.
E diante dessa possibilidade, o vice-governador já diz que está preparado para assumir o mandato de governador.

Pesar
A ex-governadora Roseana Sarney (MDB) também se manifestou sobre a morte do blogueiro e assessor parlamentar, Robert Lobato.
A emedebista disse que foi com pesar que recebeu a notícia da morte de Lobato, vítima de afogamento, em Brasília.
“Perdemos um profissional comprometido e que, em muito, contribuía para o debate político em nosso estado. Solidarizo-me com a família neste momento tão difícil”, disse Roseana.

Posse
Hoje tomarão posse como presidente e vice-presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Maranhão, respectivamente, os desembargadores Cleones Cunha e Tyrone Silva.
O primeiro é atualmente o vice-presidente e corregedor da Corte Eleitoral. Tyrone Silva assumirá hoje a vaga de membro titular.
Como Silva declinou em janeiro de disputar a presidência do tribunal, Cleones Cunha será automaticamente o presidente.

DE OLHO

R$ 37 milhões é o valor do projeto para a construção da nova sede da Câmara Municipal de São Luís. O local é antiga Fábrica, na Madre Deus.

E MAIS

• Vereadores de São Luís retomarão hoje a apreciação da proposta para regulamentar aplicativos de transporte privado como o Uber.

• O vereador Isaías Pereirinha (PSL) resumiu a situação dos vereadores de São Luís em relação à votação da proposta que prevê regulamentação de transporte por meio de aplicativo.

• Segundo o parlamentar, 99% dos vereadores da capital não conhecem como funcionam os aplicativos porque nunca usaram.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.