TRÂNSITO

Carrinhos lotação continuam causando transtornos ao trânsito no Centro

Atualmente, transporte alternativo se amontoa nas ruas da Paz e de Santaninha e tem complicado o trânsito no local; eles se concentram nas vias, que já têm veículos estacionados, e geram o caos

Igor Linhares / O Estado

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h26
No início da Rua da Paz, carrinhos, ônibus, e veículos estacionados se amontoam, deixando trânsito tumultuado
No início da Rua da Paz, carrinhos, ônibus, e veículos estacionados se amontoam, deixando trânsito tumultuado (Carrinhos)

Como se não bastassem a sinalização desligada nas principais vias, a falta de abrigos, as constantes colisões e o perigo de desabamento de prédios históricos, quem transita pelo Centro tem de lidar com os táxis-lotação, que ocupam vias, aumentando os transtornos no trânsito da região. O início das obras de requalificação do Complexo Deodoro alterou muito do que era rotina para quem trabalhava no entorno das praças e alamedas que integram o projeto já revitalizado pelo Governo Federal, como foi o caso dos táxis-lotação, que tiveram de deixar a área que passou pela reforma, realocando-se para a Rua do Outeiro, próximo ao antigo Colégio Maristas, mudança que sucedeu com o tempo e a reinauguração do projeto. Atualmente, com as alamedas fechadas para o tráfego, assim como a Rua do Passeio, a saída que os transportes alternativos e irregulares encontraram foi se amontoar no início da Rua da Paz, esquina com a Rua de Santaninha.

O Estado esteve no local e conseguiu, além de verificar, contabilizar os “carrinhos”, como também são conhecidos, enfileirados à espera de clientes na Rua da Paz e Santaninha. Vias de trânsito complexo, com uma parte já ocupada como estacionamento, os proprietários dos veículos que transportam passageiros principalmente para a região do Itaqui-Bacanga, continuam tumultuando o trânsito apertado pelas duas ruelas, que gera dificuldade mesmo nos horários que não são considerados de pico, como início da manhã e final da tarde.

No total, foram contabilizados 10 carrinhos disputando espaço com os outros veículos em trânsito. Anteriormente à reinauguração do Complexo Deodoro, a Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (Smtt) havia designado um espaço, com estacionamento rotativo, para os motoristas autônomos. Em frente à Embratel, agentes de trânsito delimitaram quatro vagas para os carrinhos, a fim de evitar que congestionamentos se formassem na Rua do Outeiro, hoje rota dos ônibus que antes trafegavam pela Rua do Passeio.

Em nota, a Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT) informou que a fiscalização contra o transporte irregular na área está mantido e é feita de forma regular e alternada, mas, pelo menos ontem, não foi constatada a presença de nenhuma viatura dos agentes de trânsito, inibindo ou organizando o tráfego de veículos.

SAIBA MAIS

A prática do táxi-lotação” é considerada ilegal pela Lei nº 3.375, de dezembro de 1998, Código Tributário do Município. Quem for pego realizando o serviço está sujeito à multa de R$ 2.042,00, além de estar passível de pena de detenção. Por isso, as cooperativas não podem explorar o serviço de transporte alternativo na capital, pois não há legislação específica para o setor. A liberação para a prestação do serviço só ocorreria por meio de lei municipal, que deveria ser criada pela Câmara de Vereadores de São Luís. Em São Luís, o serviço público de transporte coletivo urbano é regulamentado pela Lei nº 3.430/96, que não prevê o transporte alternativo urbano.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.