COLUNA

Foco de resistência

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h26

O início dos trabalhos na Assembleia Legislativa, nesta segunda-feira (4), marca também a institucionalização do Bloco Parlamentar de Oposição na Casa com um dos poucos – mas talvez o principal – focos de resistência ao governo Flávio Dino (PCdoB) no Maranhão.
O comunista saiu com um grupo muito mais fortalecido e ainda maior das eleições de 2018.
No Parlamento estadual, por exemplo, pelo menos no papel, a oposição se resumirá ao BPO – formado por PV e MDB, com cinco deputados – e ao deputado Wellington do Curso (PSDB). Todas as demais bancadas estarão alinhadas ao Palácio dos Leões.
Liderados pelo deputado estadual Adriano Sarney (PV), portanto, caberá aos poucos oposicionistas a hercúlea missão de encampar pautas de fiscalização e cobrança do governo Dino.
Como já se viu nos quatro anos do primeiro mandato do chefe do Executivo, não será tarefa fácil, já que os comunistas não hesitam em usar a força da máquina a seu favor nas votações em plenário.
Mas é a partir da postura dos não alinhados que se pode delinear um caminho aos que não concordam com as práticas do PCdoB no Maranhão.

Racha
A propósito do tamanho do grupo Flávio Dino (PCdoB), há quem acredite que o governador não consegue manter a paz entre aliados por muito tempo.
A base está efetivamente grande demais e, para os que advogam essa tese, em algum momento não será possível atender a tantos interesses.
E a consequência óbvia seria um racha.

Logo aí…
Um dos problemas que Dino terá que enfrentar é a eleição de 2020, que está logo aí. Em São Luís, por exemplo, pipocam pré-candidatos a prefeito na base comunista.
Tecnicamente, o governo não deve frear o ímpeto de nenhum dos postulantes, de olho na estratégia de pulverizar votos e evitar vitória precoce do deputado Eduardo Braide, encarado como “inimigo a ser batido”.
Resta saber se, com tantas candidaturas, será possível manter o grupo unido.

Assumiu
Tomou posse na última sexta-feira (1), na Câmara Municipal de São Luís, o vereador Joãozinho Freitas (PTB).
O parlamentar assumiu a titularidade do mandato no lugar de Pedro Lucas Fernandes (PTB), que renunciou ao cargo para assumir vaga na Câmara Federal, em Brasília.
Durante o ato simbólico, Joãozinho Freitas agradeceu a população de São Luís e a manifestação de apoio dos colegas parlamentares.

Bancada da polícia
Reeleito para o segundo mandato como deputado federal, o maranhense Aluisio Mendes (PODE) está empolgado para a nova legislatura.
Ao lado de Eduardo Bolsonaro (PSL-RJ) e de Ubirtan Sanderson (PSL-RS), eles se autointitulam a “Bancada da Polícia”.
- Trabalharemos juntos e somando forças pelo Brasil -, destacou Mendes, ao posar para foto ao lados dos dois colegas na Câmara, na sexta-feira (1°).

Antipolítica?
O governador Flávio Dino (PCdoB), pelo visto, não gostou nada da derrota de Renan Calheiros (MDB-AL) na disputa pela presidência do Senado.
Depois de o alagoano não conseguir levar a cabo a eleição para a Mesa da Casa na sexta-feira (1º) – com a batida de pé de Davi Alcolumbre (DEM-AP) -, o comunista disse que “piorou a política no Brasil”.
- O discurso da ‘antipolítica’, legitimado pelo suposto combate à corrupção, conseguiu um extraordinário feito: piorou a política no Brasil - declarou, em postagem nas redes sociais.
Nova casa
Deve ser a Secretaria de Estado das Cidades (Secid) a nova casa do deputado federal Rubens Júnior (PCdoB) a partir deste ano.
A pasta deve ainda ganhar o reforço da Agência Metropolitana, que vinha sendo comandada pelo deputado federal Pedro Lucas Fernandes, e deve ser incorporada.
Com a saída do comunista de Brasília – e a manutenção de Simplício Araújo (SD) na Indústria e Comércio -, quem assume vaga na Câmara é o segundo suplente, Gastão Vieira (Pros).

DE OLHO

R$ 1,2 milhão é quanto a Emserh pretende gastar só com material de expediente no ano de 2019; contrato para esse fim foi assinado com a VIP Distribuição e Logística.

E MAIS

• Segue a novela sobre o destino partidário do deputado federal Eduardo Braide, ainda filiado no PMN – sigla que não atingiu a chamada cláusula de desempenho, e está fadada a desaparecer.

• O corregedor nacional do MP, Orlando Rochadel, deve se manifestar nesta semana sobre recurso na denúncia de nepotismo contra o procurador-geral de Justiça do Maranhão, Luiz Gonzaga Martins Coelho.

• Aumentaram nos últimos dias os rumores de que o ex-deputado Raimundo Cutrim (PCdoB) pode assumir a Secretaria de Estado da Administração Penitenciária (Seap).

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.