COLUNA

Palpiteiro

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h26

Assentado no gabinete e com uma pequena tela de OLED de 6,5” nas mãos por ininterruptas 24 horas com navegação pelo chamado mundo virtual, o governador Flávio Dino (PCdoB) resolveu ensinar o Governo Federal a combater a violência no país.
Para Dino, é um erro focar apenas em leis para a melhoria da Segurança Pública. “A questão central é gestão”.
Correto, e até louvável esse tipo de pensamento, para alguém que comanda uma máquina gigantesca como o Governo do Maranhão.
Mas como gestor, sobretudo na Segurança Pública do estado, Dino se sai como um bom palpiteiro.
A “gestão” comunista na segurança do Maranhão não conseguiu impedir o controle de facções criminosas sobre os presídios, o aumento de 18% da violência contra o idoso em São Luís, o desenfreado número de homicídios em todas as regiões do estado, a violência no campo, as explosões de agências bancárias, e a chacina de jovens da zona rural de São Luís que permanece sem explicações por parte da cúpula de segurança.
Não há nada errado em sugerir propostas para o Governo Federal, seja em qual for a área de atuação. É necessário, contudo, que se cumpra, pelo menos, o dever de casa.
Os desafios são enormes. Aliás, não serão resolvidos por meio de um smartphone.

Controle
O governador Flávio Dino afirmou na última quarta-feira, em entrevista ao Globo News em Ponto, que conseguiu reduzir a violência nos presídios graças à contratação de pessoal.
Na prática, segundo aponta relatório da Sociedade Maranhense de Direitos Humanos, o que houve foi a divisão de território, dentro dos presídios, para facções criminosas.
Na gestão comunista, são as facções que controlam a rotina dos presídios, sobretudo no Complexo de Pedrinhas, maquiando uma falsa “paz”.

Recrutamento
Além das “leis” criadas pelas próprias facções, como apontou o relatório da SMDH, há hoje, de forma desenfreada, o fortalecimento dos criminosos encarcerados.
Isso porque eles recrutam novos membros para as suas respectivas facções, e comandam um verdadeiro exército de detentos nas unidades prisionais.
E é de dentro dos presídios que saem as “ordens” de execuções e barbáries que todos acompanham nas ruas. Um caos.

Injustificável
O governador Flávio Dino também afirmou ao Globo News em Ponto que enxerga com otimismo a retomada do crescimento da economia no país.
Para ele, independentemente dos “fatos próprios da política”, o país e o estado do Maranhão seguem uma trajetória de elevação da economia.
Então, é completamente injustificável o aumento de imposto instituído por ele em dezembro de 2018, quando a economia já se apresentava em novo ritmo.

Clonagem
Apesar de a polícia ter efetuado a prisão de membros de uma quadrilha especializada em clonagem de celulares e que aplicava golpes em políticos, ainda há um grupo solto.
Tanto que os prefeitos de São João Batista e de Penalva foram vítimas do golpe logo após a polícia ter apresentado a prisão da quadrilha.
Ao que tudo indica, os bandidos conseguiram se infiltrar num grupo de WhatsApp de prefeitos e começaram a aplicar os golpes.

Tema reage
O prefeito de Tuntum, Cleomar Tema, presidente da Famem e candidato à reeleição na entidade, reagiu às investidas do grupo de oposição.
Em entrevista coletiva concedida ontem, o socialista afirmou que o senador eleito Weverton Rocha tem assediado prefeitos aliados, em prol de Erlânio Xavier.
Tema afirmou que tem 105 aliados e assegurou que não recua na disputa. Crise.

Enquanto isso…
… O prefeito de Igarapé Grande, Erlânio Xavier, segue com forte articulação entre os gestores municipais e convicto de que trilhou um caminho certeiro.
Articulado por Weverton Rocha, o pedetista realizou grande evento num hotel da capital, no início da semana passada, e demonstrou força política.
Na ocasião, Erlânio disse que vai sim comandar a Famem pelo próximo biênio.

DE OLHO

R$ 4,6 bilhões é o valor que o Maranhão já contraiu em financiamento de 2004 a 2018 do BNDES.

E MAIS

• O deputado estadual César Pires vai propor uma audiência pública para discutir os impactos de um programa de incentivos fiscais do Governo Flávio Dino

• O prefeito de Timon, Luciano Leitoa, ainda não assimilou a derrota na Câmara Municipal de Vereadores, com a eleição para a Mesa Diretora da Casa

• O prefeito Edivaldo Holanda Júnior jamais retomou as obras de construção de uma maternidade na Cidade Operária, prometida desde 2012

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.