Política | Sem acordo com a União

Dino se esquiva de proximidade com o PSL de Bolsonaro

Ao ser questionado sobre a eleição na Câmara, governador fez questão de afastar as chances de convergência ideológica e política com Bolsonaro
Thiago Bastos / O Estado 17/01/2019
Dino se esquiva de proximidade com o PSL de BolsonaroFlávio Dino

Apesar de defender pauta comum às siglas da direita, o governador Flávio Dino (PCdoB) tentou manter o tom duro de discurso e se esquivou de qualquer possibilidade de se aliar ao PSL e ao presidente Jair Bolsonaro (PSL). Ao ser questionado sobre a eleição na Câmara, antes de defender Rodrigo Maia, Dino fez questão de ser categórico e afastar as chances de convergência ideológica e política com Bolsonaro.

Sobre a postura de parte dos integrantes do partido comunista que rejeitam qualquer acordo com a direita, Dino citou divergências com o atual presidente da República. “Não se trata de se aliar ao PSL. É claro que nós não somos aliados políticos do PSL, que é o partido do presidente Jair Bolsonaro, em relação ao qual nós temos divergências”, disse.

O discurso de Dino fugindo de qualquer acordo com o atual líder do Governo Federal se opõe ao que o próprio comunista defendia no início de sua segunda gestão. Assim que tomou posse, Dino frisou o chamado “pacto de solidariedade” com a União, ao citar que oferecia ajuda ao Ministério da Educação (MEC) para a conclusão de creches no estado. Dias após esta declaração, Flávio Dino elevou as críticas à Bolsonaro, ao dizer que não contava com recursos federais para compor o orçamento estadual.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte