Estado Maior

Pesado

08/01/2019

Enquanto vislumbra dias melhores para o país, com um olhar positivo para a previsão do Governo Federal de redução da alíquota máxima do Imposto de Renda para 2019, o contribuinte maranhense se vê cercado de medidas que o penalizam no estado.
E, por isso, teme por um dos inícios de ano mais pesados das últimas décadas.
Além da recessão e da crise financeira, social e econômica no estado, o maranhense já tem data marcada para começar a pagar mais caro por uma série de serviços e produtos - com o aumento de ICMS -, somados à tabela de IPVA já editada pelo Executivo.
O aumento de imposto - aprovado pela base governista na Assembleia Legislativa no dia 5 de dezembro de 2018 - entra em vigor exatos 90 dias depois de transformado em lei, ou seja, no dia 5 de março deste ano.
E a data coincide com o período de cobrança da segunda parcela do IPVA, do licenciamento de veículos e da taxa única do DPVAT, já disponível a partir de fevereiro.
Ou seja, a população maranhense, que já sofre com o aumento da extrema pobreza no estado, como apontou o IBGE; com a última colocação em ranking de desenvolvimento do Sebrae; com os efeitos da queda do PIB e com a falta de oportunidades de emprego, ainda receberá uma carga tributária onerosa nos primeiros meses de 2019.
E, infelizmente, não vai parar por aí...

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.