O Mundo | Comércio

Acordo comercial entre EUA e Pequim avança lentamente

Para o presidente dos EUA, Donald Trump, um grande acordo poderia ser alçado rapidamente; ele concordou em adiar por 90 dias o aumento das tarifas alfandegárias sobre 200 bilhões de dólares em mercadorias chinesas que deveria ocorrer em 1º de janeiro
17/12/2018

WASHINGTON - A contagem regressiva para um acordo comercial começou. E, pela primeira vez, Washington e Pequim parecem determinados a alcançá-lo, ignorando os assuntos diplomáticos que poderiam comprometer o resultado de suas delicadas negociações. Donald Trump estimou na sexta-feira ( 14) que um "grande acordo" poderia ser alcançado "muito rapidamente!", justificando essa urgência pela desaceleração da economia do gigante asiático, alvo de tarifas punitivas dos Estados Unidos.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte