Estado Maior | COLUNA

Atordoado

27/11/2018

O governador Flávio Dino (PCdoB) parece atordoado em meio ao caos instalado na cidade de Bacabal após uma audaciosa ação criminosa, neste final de semana.
Na ação, bandidos explodiram uma agência bancária, atearam fogo em vários veículos, bloquearam as principais vias de acesso à cidade, atacaram com tiros de fuzis um quartel da Polícia Militar e uma Delegacia de Polícia Civil e fizeram reféns, na noite de domingo, antes de fugir com sacos de dinheiro.
A investida do bando organizado, instalou terror e pânico, clima de medo e insegurança na cidade. O caso foi alvo de reportagens da imprensa em todo o Brasil.
Confrontado por uma “enxurrada” de críticas em seu perfil, em rede social, o governador tentou amenizar a situação com a informação - não se sabe extraída de onde - de que a quadrilha que atacou Bacabal “não é sediada no Maranhão”.
Ao que parece, para o chefe do Executivo, lançar a informação de que os bandidos supostamente são de outros estados, minimiza os numerosos assaltos a banco ocorridos no Maranhão este ano e os prejuízos sociais deixados em Bacabal.
Ele também destacou em seu perfil, que a polícia reagiu à investida e deixou criminosos mortos, feridos e presos. Um civil também acabou morto na ação criminosa.
Diante do ataque ostensivo dos criminosos, a reação policial foi correta e imediata, atitude que, aliás, corrobora o discurso daqueles que defendem uma atuação mais enérgica do Estado contra a bandidagem - a exemplo do presidente eleito, Jair Bolsonaro, tão criticado pelo governador maranhense.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte