Ameaça

Arma de fogo é o meio mais usado em crimes de homicídio na Ilha

Mais de 88% dos homicídios registrados este mês na região metropolitana de São Luís foram praticados com revólveres ou pistolas

Daniel Júnior

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h28
(Pistola)

Grande Iha - Arma de fogo é o instrumento mais utilizado nos assassinatos que foram contabilizados durante este mês, na Grande São Luís, região composta pela capital, São José de Ribamar, Paço do Lumiar e Raposa. Dos 19 crimes violentos letais intencionais (CVLI) que foram registrados até o dia 21 de setembro, 17 casos foram consumados por meio de revólveres. Um foi com o emprego de arma branca e um por outros meios.

Do número total de homicídios dolosos, 14 ocorreram em São Luís, quatro em São José de Ribamar e um em Paço do Lumiar, ambas cidades na Região Metropolitana. Os dados são registrados diariamente pela Secretaria de Segurança Pública do Maranhão (SSP-MA). Ontem, no final da tarde, o Instituto de Medicina Legal (IML) foi acionado para recolher um cadáver no bairro da Maiobinha, em São José de Ribamar. A morte está a esclarecer.

Em entrevista a O Estado sobre uma reportagem do mesmo viéis, o delegado Marcos Afonso, do Departamento de Proteção à Pessoa do Maranhão, há uma grande facilidade de qualquer cidadão conseguir uma arma de fogo. “O tráfico de armas acontece em todo o país. As fronteiras brasileiras não são bem fiscalizadas pelos órgãos competentes devido à falta de efetivos. É um problema nacional. Além disso, uma pessoa que é presa por portar arma de forma ilegalmente paga uma fiança e é liberada. Dificilmente uma pessoa é presa por portas armas. Fica impune”, explicou.

“O indivíduo quando está de posse de uma arma, ele quer mesmo é intimidar e causar medo nas pessoas. É um instrumento poderoso para praticar um crime e é invencível. Ninguém deve reagir. Há a facilidade de conseguir uma arma e, com esse instrumento, há uma facilidade também de consumar a vida de uma pessoa. A arma intimida. Isso é histórico. Ninguém deve reagir”, ressaltou o delegado Guilherme Sousa Filho, do Departamento de Homicídios do Interior do Maranhão.

Ainda segundo o delegado Guilherme, a utilização da arma depende muito do local. “Na Zona Rural a arma branca, como faca, foice e punhal é bastante utilizada pelos assassinos. Já no meio urbano, nota-se que os crimes de homicídios são mais praticados com arma de fogo”, finalizou.

Nome das vítimas de homicídio durante o mês de setembro:

02/09/18 - Natanael do Nascimento Silva 18 De Fogo Res. amendoeira II / Maracanã São Luís

03/09/18 - Erenilson Carlos G. de Sousa 20 De fogo Recanto São José São José de Ribamar

04/09/18 - Lucas Alves do Nascimento 18 De fogo Cohatrac IV São Luís

05/09/18 - Adriano Santos Paiva 26 De fogo V. Progresso/Recanto Vinhais São Luís 06/09/18 - Ronaldo Freire dos Reis 21 De fogo Mata São José de Ribamar

07/09/18 - Alyson Gomes da Silva 21 De fogo Cidade Olímpica São Luís

07/09/18 - Jussiel Pereira Mesquita 30 Branca Vila Conceição/João de Deus São Luís

08/09/18 - Carlos Lisboa do Vale 18 De fogo Cidade Olímpica São Luís

08/09/18 - Diego Aguiar Soares 27 De fogo Cidade Olímpica São Luís

09/09/18 - Gilsomar Carvalho Fonseca 39 De fogo Coroadinho São Luís

10/09/18 - T. M. R. V. 17 De fogo Outeiro São José de Ribamar

10/09/18 - W. C. A. 17 De fogo Mata São José de Ribamar

10/09/18 - Cosmo Damião Pereira Ribeiro 19 De fogo Jardim América São Luís

13/09/18 - José de Ribamar Almeida Costa 53 Outros meios Vila Conceição/Alto do Calhau São Luís

14/09/18 - Adriel Felipe Ribeiro Marinho 20 De fogo Pontal da Ilha São Luís

15/09/18 - José Milton Viana Junior 37 De fogo Liberdade São Luís

16/09/18 - Álvaro Macedo Gomes 21 De fogo Residencial Orquídeas Paço do Lumiar

21/09/18 - Lucas Gabriel Lobato 19 De fogo Gapara São Luís

21/09/18 - Mario Cesar da Cruz Ferreira 33 De fogo Aurora São Luís

Fonte: SSP-MA

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.