Polícia | Violência

Maranhão não fornece dados da violência no 1º semestre

Números divulgados ontem pelo Monitor da Violência não incluiu os estados do Maranhão, Paraná e Tocantins que não enviaram os dados referentes aos primeiros seis meses do ano
Ismael Araújo29/08/2018
Maranhão não fornece dados da violência no 1º semestre Lucas de João Lisboa foi morto em confronto com a polícia e o seu comparsa, ao lado, foi preso (Divulgação)

SÃO LUÍS - O Maranhão não forneceu os dados complementos dos casos de homicídio, latrocínio e lesão corporal seguido de morte ocorridos no primeiro semestre deste ano no estado ao G1. O site da Rede Globo acompanha os casos de assassinatos no país, por meio do Monitor da Violência, que é feito em parceria com o Núcleo de Estudos da Violência da Universidade de São Paulo (USP) e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Esses dados foram divulgados ontem, totalizando 26.126 assassinatos nos seis primeiros meses deste ano no Brasil, mas sem contar as mortes nos estados do Maranhão, Paraná e Tocantins.

Ainda segundo o Monitor da Violência, a taxa de mortes violentas no país é 12,5 a cada 100 mil habitantes e Roraima ficou sendo o estado que apresentou a maior taxa, 27,7. Em relação a região nordeste, Rio Grande do Norte é o estado mais violento, com uma taxa de 27,1. O Maranhão informou apenas os assassinatos ocorridos de janeiro a maio com 705 casos em todo o estado. O mês de janeiro foi o mais violento com registro de 164 assassinatos.

Explicação

A Secretaria de Segurança Pública (SSP-MA) informou ontem, por meio de nota, que os dados consolidados sobre mortes violentas e outros crimes ocorridos no Maranhão em junho de 2018 ainda estão sendo consolidados.

A SSP também reitera que obedece o prazo de três meses, estabelecido pelo Ministério da Justiça, o qual considera as condições de registro de ocorrências disponíveis nas unidades federativas do país, como as dimensões territoriais e oferta de serviço de internet disponíveis nos estados.

A SSP esclareceu, ainda, que os dados referentes a Crimes Violentos Letais e Intencionais (CVLI), entre eles os homicídios, da Região Metropolitana de São Luís podem ser acompanhados mês a mês no endereço eletrônico da secretaria (www.ssp.ma.gov.br).

Números altos

Os números de mortes de violentas continuam altos na Região Metropolitana de São Luís e no interior do estado. Este mês, 20 homicídios dolosos e dois casos de latrocínio (roubo seguido de morte) já ocorreram somente na Ilha. O último caso ocorreu na noite de segunda-feira, 27, na Vila São José, em São José de Ribamar, e a vítima foi identificada como Mateus Felipe Passos dos Santos, de 21 anos.

O tenente-coronel Jessé Costa, comandante do 13º Batalhão da Polícia Militar, declarou que a vítima fazia parte de uma facção criminosa e foi alvejada em via pública por dois criminosos que fugiram em uma motocicleta. Mateus Passos morreu no local e o corpo foi removido para ser periciado no Instituto Médico Legal (IML), no Bacanga.

Jessé Costa informou, ainda, que no fim da manhã de ontem um outro “faccionado”, identificado como “De Menor”, foi golpeado e baleado por homens não identificados nas proximidades do Porto do Vieira, em São José de Ribamar. Até a tarde de ontem, ele estava internado no hospital da cidade correndo risco de morte e deveria ser transferido para o Hospital Municipal Socorrão II. “A maior parte dos assassinatos ocorrido nessa região tem participação de integrante de facções criminosas”, disse o comandante do 13º Batalhão da Polícia Militar.

“A maior parte dos assassinatos ocorrido nessa região tem participação de integrante de facções criminosas”.Tenente-coronel Jessé Costa, comandante do 13º BPM

Latrocínio

No interior do estado ocorreram dois casos de latrocínio em menos de 24 horas e um deles em Coelho Neto, na noite de segunda-feira, 27. Segundo a polícia, José Rodrigues Neto, de 75 anos, foi morto a tiros na porta da sua residência, no povoado São Lourenço, zona rural da cidade.

Ainda de acordo com as informações da polícia, o acusado levou alguns pertences da vítima, mas pretendia roubar a quantia de R$ 4 mil. Este dinheiro foi encontrado no bolso da camisa do idoso, no hospital desse município. O caso está sendo investigado pela delegacia de Polícia Civil dessa cidade.

O outro caso de latrocínio também ocorreu na segunda-feira, na cidade de Brejo. A vítima foi Rafael Freitas Soares, o Rafinha, idade não revelada. O delegado Robert Freitas declarou que a vítima era homossexual e foi morta a pauladas. O acusado é um adolescente que foi apreendido e vai responder por conduta análoga ao crime de latrocínio.

Confronto

Ainda no período da manhã de ontem foi morto Lucas de João Lisboa em confronto com militares na cidade de Carolina. O sargento R. Costa, lotado no quartel da Polícia Militar do município, declarou que Lucas Lisboa e seu cúmplice conhecido como Herdeson, eram suspeitos de terem assaltado uma ótica e logo depois trocaram tiros com policiais militares.

Durante o tiroteio, Lucas Lisboa foi alvejado na testa e morreu no local. O outro assaltante foi preso e conduzido para a delegacia de Polícia Civil de Carolina. Em poder dos assaltantes, a polícia apreendeu dinheiro, joias, celulares, ósculos, relógios, bolsa e um revólver calibre 38.

ENTENDA

Mortes violentas no Maranhão este ano

Janeiro: 164 casos

Fevereiro: 131 casos

Março: 152 casos

Abril: 121 casos

Maio: 137 casos

Junho: a SSP não forneceu os casos

Fonte: Monitor da Violência

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte