Política | Entrevista

“Foi um grande engodo”, diz Maura Jorge sobre Flávio Dino

Candidata do PSL ao governo do estado lamentou fracasso do atual governo durante a Sabatina de O Estado
José Linhares Jr24/08/2018 às 12h00
“Foi um grande engodo”, diz Maura Jorge sobre Flávio DinoMaura Jorge afirmou que atual governo "teve sua chance, mas não conseguiu" (Paulo Soares / O Estado)

"Ele usa a máquina pública para chantagear os políticos, deputados. Ou vota com ele ou não tem as emendas liberadas", essa foi uma das formas que a candidata do PSL, Maura Jorge, caracterizou o atual governo. As declarações contra o governo, além de suas propostas de governo, foram dadas durante a Sabatina de O Estado, ocorrida na manhã desta terça (24).

A candidata iniciou a Sabatina se colocando como uma novidade na política. "Quero ser o novo, das práticas na política, o novo que pode melhorar a vida do povo", disse logo no início da sabatina.

A candidata reclamou das dificuldades encontradas para montar sua chapa e do obstáculo para fazer campanha. Maura afirmou que sua candidatura irá ter como principal mecanismo as redes sociais. Acredito no potencial das redes sociais para levar a minha mensagem ao eleitor"

SEGURANÇA PÚBLICA

A primeira proposta apresentada por Maura Jorge para a segurança foi a diminuição do número de capelães na Polícia Militar. O Maranhão hoje possui 50 capelães, pessoas responsáveis por uma espécie de atendimento religioso na corporação e remuneradas pelo governo. O estado com o maior número de capelães depois do Maranhão é Alagoas, com cinco.

“Temos de rever. Você pega o estado de São Paulo, que tem a população quatro vezes maior que a do Maranhão e não existe essa quantidade de capelães. Na própria PM tem pessoas formadas na área [seminaristas], e não é preciso usar a política para isso", disse a candidata.

Maura defendeu um programa de valorização dos policiais e criticou a política de segurança pública do governador Flávio Dino. "Ninguém faz segurança com o faz de conta. O governador criou 15 batalhões, mas não mexeu no quadro funcional. Ou seja, foi uma ação meramente política", explicou.

Em relação ao contingente, Maura criticou o descumprimento da promessa de multiplicação do efetivo feita por Flávio Dino. Também criticou os números apresentados. “O governador disse que a PM tem mais de 15 mil militares. Mas cerca de 3 mil são oriundos do concurso anterior e além disso, houve as baixas nas aposentadorias", frisou.

SAÚDE E EDUCAÇÃO

Maura Jorge afirmou que, caso seja eleita, irá instituir escolas militarizadas em áreas de risco. Para a candidata, essas escolas promovem a disciplina e ordenamento imprescindíveis para o momento do país. Ela também afirmou que o envolvimento da família e da comunidade com a escola é fundamental. "Os pais precisam acompanhar os filhos na escola", falou.

Para a saúde a candidata identificou a desorganização como principal problema a ser combatido em seu governo. "Há recurso para fazer concurso na Saúde, o que falta é vontade política", afirmou. Maura Jorge prosseguiu afirmando que em sua gestão os problemas básicos serão combatidos de forma feroz.

ECONOMIA E GESTÃO

Um dos pontos mais tocados pela deputada durante a sabatina foi a necessidade de enxugamento e democratização da máquina pública. "Falta gestão. É preciso enxugar a máquina pública", afirmou.

A candidata defendeu medidas que garantam a distribuição de riqueza no estado. "Estive em Balsas recentemente, um município com terras férteis e movimentação de recursos. Mas, 51% da população vive com menos de 1 salário mínimo. Ou seja, as grandes empresas que ali estão não estão dando retorno para a população".

Maura assegurou que em seu governo será desencadeada uma ampla reforma tributária que tenha como meta a diminuição de impostos. Plataforma inspirada em iniciativas de outros estados. "O que deu certo, nós temos de plagiar. Em Mato Grosso do Sul, num pacto com todos os poderes e instituições, foi feita a diminuição do ICMS".

FLÁVIO DINO FRACASSOU

O uso político do Estado, perseguição e o fracasso do atual governo foram levantados pela candidata. Segundo Maura Jorge, Flávio Dino “teve a oportunidade de fazer o Maranhão o que ele prometeu, mas não conseguiu”.

A candidata alegou uma postura absolutista do governo. "Quando você é governador, você não é dono do estado. Você tem de fazer as parcerias com prefeitos, com instituições. Você tem de governar para o povo", disse.

Ainda no assunto, Maura Jorge assegurou que Flávio Dino conseguiu ser pior do que todos os governantes que o antecederam. "Você tem um governador que criticava tudo e todos em 2014 e que tem as práticas piores das dos seus antecessores".

FIM ANTECIPADO

Apesar de problemas de saúde (Maura passou a noite anterior a Sabatina de O Estado em estado febril), Maura Jorge fez questão de participar do evento. Contudo, esses mesmos problemas forçaram um fim antecipado da sabatina.

Na segunda (24) a candidata Roseana Sarney do MDB será a última entrevistada da Sabatina de O Estado. O programa pode ser assistido no portal Imirante.com.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte