Polícia | Criminalidade

No Maranhão, jovem perde a vida de forma prematura, diz anuário

Atlas da Violência 2018 mostra que no estado, 1.212 jovens, de 15 e 29 anos, foram mortos em 2016; no País foram 33.590, maioria do sexo masculino
Ismael Araújo18/08/2018
No Maranhão, jovem perde a vida de forma prematura, diz anuárioMorte de jovens tem alto índice no Maranhão, diz Atlas da Violência 2018 (Divulgação)

SÃO LUÍS - Os jovens (15 a 29 anos) estão perdendo a vida de forma prematura no Maranhão. Dados do Atlas da Violência 2018, produzido pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública, revelaram que 1.212 jovens foram assassinados em 2016 no Maranhão e, no ano anterior, foram 1.257 óbitos. A média é de 100 mortes por mês. Os dados mostram que no Brasil, 33.590 jovens, nessa faixa de idade, foram assassinados em 2016, sendo 94,6% do sexo masculino.

Mas os números só crescem no Maranhão. Nesta quinta-feira, 16, por exemplo, quatro jovens foram executados no interior do Maranhão. Dois deles na cidade de Imperatriz. Uma das vítimas, que não teve seu nome revelado, circulava de bicicleta pelo bairro Santo Amaro quando levou dois tiros na cabeça, disparados por um homem não identificado.

A vítima morreu no local e o criminoso fugiu. A polícia foi informada e esteve no local, mas não conseguiu maiores informações sobre o caso. O corpo da vítima foi removido para o Instituto Médico Legal (IML) de Imperatriz para ser periciado. O caso está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios e Proteção a Pessoas (DHPP), sob a coordenação do delegado Praxisteles Martins.

Mais crimes

A Polícia Civil também está investigando o assassinato de Wallyson Rocha Cabral, de 19 anos, ocorrido no cruzamento das ruas Sousa de Lima com Brasil, em Imperatriz. O jovem foi baleado na cabeça e os acusados, que estavam em uma motocicleta Bros preta, fugiram. A vítima foi levada para o Hospital Municipal de Imperatriz (HMI), mas morreu antes de ser submetido a tratamento cirúrgico.

Até a tarde desta sexta-feira, 17, não havia registro de prisão dos acusados desses dois casos de homicídio. A polícia informou que em menos de dois meses seis jovens já foram mortos a tiros ou por arma branca em Imperatriz.

Também nesta quinta-feira, foi assassinado a tiros um adolescente identificado como Pedro Henrique, de 16 anos, no bairro Mariol, na cidade de Coroatá. Segundo a polícia, a vítima trabalhava em um lava-jato quando foi morta por dois homens que chegaram ao local como clientes.

Os criminosos obrigaram a vítima a deitar no chão e em seguida dispararam cinco tiros contra ela. Uma das balas atingiu a cabeça do adolescente. A polícia não informou a motivação desse crime e o caso está sendo investigado pela Delegacia de Polícia Civil do município.

Já em Itapecuru-Mirim, José Wilson da Silva Júnior, de 17 anos, foi executado quando trabalhava em uma oficina mecânica. O tenente-coronel Rubert, comandante do 28º Batalhão da Polícia Militar, informou que o adolescente levou quatro tiros. Ele ainda foi levado para o hospital da cidade, mas chegou sem vida. O criminoso fugiu em uma bicicleta.

Crimes na Ilha

Dos nove homicídios dolosos ocorridos este mês na Região Metropolitana de São Luís, oito tiveram como vítimas jovens, segundo dados da Secretaria de Segurança Pública (SSP). O último caso, por exemplo, ocorreu na tarde desta quinta-feira, no Pindaí, na MA-201, estrada de Ribamar. A vítima foi Joan Pereira Amorim, de 29 anos.

O tenente Vilson, comandante da 1ª Companhia do 13º Batalhão da Polícia Militar, explicou que Joan Pereira e Victor Emanoel Oliveira Rodrigues, de 19 anos, tentaram praticar um assalto a uma churrascaria, mas acabaram baleados.

Joan Perreira foi alvejado no peito e no cotovelo e morreu no local. Seu cúmplice, que levou tiros de raspão nas costas e no ombro, foi preso e apresentado na delegacia de São José de Ribamar. Com a dupla foram encontrados um revólver calibre 32 municiado e produtos provenientes de roubo. O autor dos disparos não foi identificado.

Os outros jovens assassinados este mês, segundo a polícia, foram Augusto Pablo Cardoso Martins, de 25 anos, Jhenymenson Silva dos Santos, de 23 anos, José Adeilton de Souza Pindoba, de 25 anos; Gerson Teixeira dos Santos, de 26 anos; Claudenilson Brandão Castro, de 28 anos; Robson Cantanhede, de 25 anos; e um adolescente de 17 anos.

33.590

jovens entre 15 e 29 anos foram assassinados em 2016 no País, de acordo com os dados do Atlas da Violência 2018, a maioria, 94,6%, do sexo masculino

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte