Cidades | Violência

322 assaltos a ônibus no primeiro semestre na Grande São Luís

Dados são do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de São Luís (SET); a Avenida Beira-Mar, no centro de São Luís, é onde ocorre a maior incidência de casos
Daniel Júnior/ O ESTADO05/07/2018
322 assaltos a ônibus no primeiro semestre na Grande São Luís Ônibus circulam na Avenida Beira-Mar, local com maior incidência de assaltos a coletivos, com 32 casos (Biné Morais / O ESTADO)

SÃO LUÍS - O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de São Luís (SET) contabilizou, de janeiro ao dia 21 de junho deste ano, 322 assaltos a ônibus na Grande São Luís (municípios de São José de Ribamar, Paço do Lumiar, Raposa e São Luís). O levantamento traz só a parcial do mês de junho, porque algumas empresas ainda não haviam informado os dados ao setor de estatística do SET. No mesmo período de 2017, 348 ocorrências desse tipo foram registradas.

A Avenida Beira-Mar, no centro de São Luís, é o local com a maior incidência de ações criminosas do tipo, com 32 casos registrados até o mês de abril deste ano - em 2017, a avenida também liderava o ranking. Em seguida, vem a Avenida Jerônimo de Albuquerque e BR-135, com 21 casos, durante os quatro primeiros meses do ano; e Estrada de Ribamar, que registrou 15 assaltos a coletivos, também entre os meses de janeiro e abril. No ano de 2017, a Avenida Beira-Mar também liderava o ranking dos locais onde mais ocorreram assaltos a ônibus.

Abril é o mês em que mais registraram assaltos a ônibus na Grande São Luís: foram 80. Em seguida, vêm março, com 70; maio, com 56; fevereiro, com 48; janeiro, com 47; e junho, com 21 casos (parcial até o dia 21).
“O maior prejuízo é para os passageiros, pois eles têm seus pertences roubados. Essas ações não causam tantos impactos aos caixas das empresas, porque atualmente é utilizado mais o cartão de transporte. O sistema de transporte perde passageiros, porque, com receio de assaltos, muita gente está aderindo a meios alternativos de locomoção”, revelou Luís Cláudio Andrade Siqueira, superintendente do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de São Luís (SET).

Paralisações
Indagado sobre as paralisações de funcionários do Sistema de Transporte de Passageiros por falta de pagamentos de salários e benefícios, Siqueira afirmou que assaltos não são motivos para as irregularidades, mas o aumento nos valores do plano de saúde, combustíveis, entre outros, afetam as despesas das empresas.

“O valor do plano de saúde dos funcionários teve um reajuste, e os combustíveis estão mais caros. Isso atinge as despesas das empresas e causam transtornos para ambas as partes - empresários e funcionários. As empresas não podem aumentar o preço das passagens a cada aumento de despesas. A Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Trânsito e Transportes (SMTT), gere o sistema, mas não se posiciona. Os empresários comunicaram à Prefeitura em outubro do ano passado que o valor do plano de saúde seria reajustado”, explicou o superintendente do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de São Luís.

Sindicato ingressa com ação no TRT

Após decisão da Justiça em relação à paralisação realizada por funcionários da empresa Matos, do consórcio Upaon-Açu, na última terça-feira (3), o Sindicato dos Rodoviários do Maranhão informou que o Departamento Jurídico da entidade ingressou com uma ação para que o Tribunal Regional do Trabalho (TRT) promova uma audiência de mediação entre as partes envolvidas (rodoviários e empresários). Os trabalhadores paralisaram as atividades reivindicando salários e benefícios, que estão atrasados.

Os empresários, por força de liminar, concedida pelo Tribunal Regional do Trabalho, conseguiram garantir a permanência de 80% da frota de ônibus circulando na capital. O descumprimento resultaria ao Sindicato dos Rodoviários, pagamento de multa no valor de R$ 20.000,00, por cada hora de paralisação. Os trabalhadores seriam penalizados com descontos em folha, pelos dias não trabalhados. Diante desta decisão, a entidade, suspendeu o movimento.

“A justiça deu parecer favorável aos empresários e mais uma vez, massacra os trabalhadores, que estão saindo perdendo com esta decisão. Nossa intenção, é resguardar os direitos dos Rodoviários, mas agora, estamos sendo impedidos até de reivindicar que os patrões regularizem a situação dos funcionários. Esperamos que o Tribunal Regional do Trabalho, promova esta mediação que estamos solicitando, o mais rápido possível, para que veja como os trabalhadores estão sendo enganados e prejudicados por estes empresários”, ressaltou Isaias Castelo Branco, Presidente do Sindicato dos Rodoviários do Maranhão.

Saiba Mais

Assaltos a ônibus em São Luís/mês

Janeiro – 47 assaltos
Fevereiro – 48 assaltos
Março – 70 assaltos
Abril – 80 assaltos
Maio – 56 assaltos
Junho – 21 assaltos (parcial até o dia 21)

Fonte: SET

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte