Ele nunca tem culpa?

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h31

O governador Flávio Dino (PCdoB) decidiu derramar todo o seu ódio nas redes sociais depois que a notícia de politização da Polícia Militar do Maranhão ganhou divulgação nacional. Dino, como sempre, culpou o Grupo Mirante pela circular da PM que determinava a espionagem de adversários políticos do governo estadual.
Segundo o comunista, ele não determinou a ordem para espionar – ou intimidar os seus adversários. Mas fica uma questão: que notícia nos veículos nacionais ou mesmo locais disse que a ordem partiu do governador?
Em momento algum.
No entanto, quando uma ação é feita numa gestão, a referência sempre é para o gestor principal. Em um estado, no caso, é para o governador.
O problema de Flávio Dino – durante todo o seu governo – é que as ações que ele considera boas, a determinação é dele, orientação sua. Mas quando o caso é ruim, o governador esquece de suas funções inerentes ao cargo - que seria de chamar a responsabilidade para si e resolver o problema - e opta por culpar terceiros. Atitude de quem não gosta de ser contrariado.
Ora, se Dino usa a tática de culpar seus adversários e, quando convém, seus subordinados pelas derrapadas em sua administração, qual seria a dificuldade de usar a PM para acompanhar de perto quem não concorda com seu governo?

Pior defesa
A pior defesa para o Governo do Estado foi protagonizada pelo líder de Flávio Dino na Assembleia Legislativa, Rogério Cafeteira (DEM).
O governista resolveu dizer que a ação partiu do tenente coronel Emerson Farias Costas, que o fez por ter ligação com o pré-candidato a governador do PRP, Ricardo Murad.
Os deputados da oposição fizeram logo o questionamento a Cafeteira para saber o que fazia um PM ligado a um opositor em cargo de confiança do governo. O líder de Dino não conseguiu responder.

Estratégia furada
A comunicação alugada pelo governo estadual já traçou a estratégia para desqualificar o pedido que os deputados de oposição farão pela intervenção federal no Maranhão.
Segundo os blogs e demais mídias pagas pelos Leões, uma armação de adversários para dar o golpe no Estado. Algo de filme.
Na verdade, os deputados da oposição querem segurança federal, já que não se sentem mais seguros com uma polícia que está sendo usada politicamente em favor de Flávio Dino.

Inelegível?
Os dias em que passou no comando do Governo do Estado, no início de abril, poderão custar a inelegibilidade do vice-governador Carlos Brandão (PRB).
É que há interpretações que mostram que, por ter ficado até o dia 9 à frente do Executivo estadual, participando até de inaugurações, Brandão somente pode concorrer a governador.
Outros especialistas já dizem que há uma jurisprudência no TSE que garantirá a Carlos Brandão ser novamente candidato a vice-governador.

Clima tenso
O clima na Câmara Municipal de São Luís é um dos mais tensos dos últimos anos. A briga judicial que deixa em cheque a eleição na Casa está deixando vereadores tensos.
Na sessão de ontem, os vereadores aliados do candidato a presidente da Câmara Osmar Filho (PDT) pressionavam para que a sessão acontecesse mesmo sem quórum.
A discussão foi tão grande que o vereador Estevão Aragão (PSDB), que apoia Osmar Filho, enviou ofício à mesa diretora renunciando ao cargo de 5º secretário.

Sem critério
Além de Estevão Aragão, outros vereadores também são considerados estranhos no grupo de Osmar Filho.
O motivo: o pedetista é o candidato do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT) na Casa e mesmo assim já recebeu apoio de vereadores da oposição.
Aragão e outros, como Francisco Chaguinhas (PP), Marcial Lima (PRTB) e Marquinhos Silva (DEM), são árduos críticos da gestão pedetista, mas estão fechados com Osmar. Vá entender!

Fake news
Acostumados a reclamar de fakes news e acusar os adversário de cometer a prática, os comunistas acabaram por ser “pegos” espalhando notícias falsas em rede social.
Um assessor do PCdoB do Maranhão passou a tarde espalhando uma fake news pelo WhatsApp. Claro que a notícia falsa era contra a ex-governadora Roseana Sarney, principal adversária de Dino na eleição para governador.
Ao ser criticado pela atitude considerada crime, o assessor comunista disse somente que estava repassando uma “informação” que recebeu. Muito inocente!

DE OLHO

R$ 9,5 milhões é o valor já gasto, em 2018, pelo Governo do Estado, somente com diárias. O governador Flávio Dino, por três dias, recebeu R$ 14 mil pela viagem aos EUA.

E MAIS

• Quem anda espalhando a tese da inelegibilidade de Carlos Brandão é o deputado estadual Stênio Resende (DEM).

• E com esta história de que Brandão pode ficar inelegível, já se movimentou para ser o vice na chapa de Dino o deputado Rogério Cafeteira.

• Os deputados da oposição já entraram junto à Mesa Diretora da Assembleia Legislativa com requerimento para convocar os oficiais da Polícia Militar para saber da responsabilidade de cada um no episódio da circular que determinava espionagem.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.