Cidades | Água pode acabar

Alternativas são escassas para reduzir dependência das fontes subterrâneas

Reservas, como Batatã, e o baixo número de poços perfurados pelos órgãos de controle ambiental para atender a demanda, revelam necessidade de investimentos
Thiago Bastos / O Estado24/03/2018

Com a iminente degradação das fontes subterrâneas da Região Metropolitana, os investimentos na consolidação de novas reservas de água deveriam se tornar prioridades na política de abastecimento populacional. Apesar disso, o que se vê atualmente é o fim de instrumentos importantes, que deveriam servir como apoio para as necessidades básicas de pouco mais de um milhão de pessoas que vivem atualmente na Região Metropolitana de São Luís, de acordo com dados do IBGE. Um exemplo disso é a reserva do Batatã - localizada no Parque Estadual do Bacanga -, que, devido à destruição dos mananciais (eram sete na década de 1970 e se resume a apenas um atualmente) e à ocupação desenfreada de seus arredores, teve a sua capacidade de armazenamento reduzida.

Para continuar aproveitando o conteúdo de O Estado faça seu login ou assine.

Já sou assinante

entrar

Ainda não sou assinante

assine agora

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte