Curso

Oficina de comidas típicas é oferecida aos moradores do Gapara

Esta foi a 14ª oficina realizada em bairros de São Luís, favorecendo comunidades e garantindo a possibilidade de renda extra aos participantes

- Atualizada em 11/10/2022 às 12h34
Moradoras do Gapara participaram de oficina de comidas típicas
Moradoras do Gapara participaram de oficina de comidas típicas (Comida)

Moradores da região do Gapara receberam na comunidade uma oficina de comidas típicas maranhenses, oferecida pela Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Turismo (Setur). Com a oficina, que reuniu moradoras da comunidade, o poder público municipal, além de instruir acerca da produção de pratos maranhenses, ofereceu a possibilidade de uma fonte extra de renda.

A coordenadora do Todos por São Luís, a primeira-dama Camila Holanda, destacou que a iniciativa do programa favorece a comunidade em várias áreas. "Aproveitamos oportunidades como essa para estar perto da comunidade e dialogar com os moradores. Essa é uma ação social que beneficia de diversas formas o bairro. Aqui no Gapara estamos iniciando a programação do Todos com essa oficina, que oferece uma possibilidade de incremento na renda dos moradores, além de valorizar nossa culinária", explicou.

O secretário adjunto de Turismo, Israel Ferreira, contou que a proposta da oficina é levar política pública aos bairros. "Essa já é a 14ª oficina que realizamos com o Todos por São Luís e para nós é uma satisfação ver no rosto dos moradores o sentimento que expressam ao serem valorizados", destacou.

Pratos típicos
Durante a oficina das participantes produziram pratos como arroz de cuxá, arroz Maria Isabel, vatapá, escondidinho de carne de sol, tortas de camarão e caranguejo, farofa, bobó de camarão e cuxá. O público, além de aprender sobre a formação da culinária ludovicense, foi orientado quanto à higiene para manuseio e preparo dos alimentos. Com a nova habilidade, os moradores têm a possibilidade de desenvolver atividades lucrativas.

A instrutora da oficina Letícia Bogea, do setor de qualidade e qualificação da Setur, destacou como a oficina contribui para o fortalecimento do turismo na cidade. "Essa oficina é também uma oportunidade dos participantes conhecerem nossas comidas típicas. Muitas vezes as pessoas não têm o costume de oferecer uma comida típica ao visitante por não saberem como fazer. Então a proposta é, além de trazer uma opção de fonte de renda, apresentar essa culinária típica aos ludivicenses para que possam oferecer aos turistas quando tiverem oportunidade", reforçou.

Para a artesã Iraneide Moraes Silva, 48 anos, a oficina foi muito produtiva. "Eu gosto muito de cozinhar e aqui tive oportunidade de aprender a fazer coisas que eu não sabia. Penso em fazer para vender, pois as pessoas sempre gostam dessas comidas. Gosto muito de participar de momentos assim, onde temos a possibilidade de aprender coisas novas", contou. A também artesã Maria Olinda Alves, coordenadora da União de Moradores do bairro, avaliou positivamente a capacitação. "Muitas das participantes são donas de casa e essa é uma oportunidade única de aprendizado para que possam incrementar a renda", acrescentou.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.