Política | Maranhão

Temer visita nesta quinta o Centro de Lançamento de Alcântara

Passagem do presidente da República por Alcântara será rápida e não será permitido registro da imprensa
Carla Lima/Subeditora de Política04/10/2017 às 14h01
Temer visita nesta quinta o Centro de Lançamento de AlcântaraMichel Temer desembarca em Alcântara para visitar as instalações do Centro de Lançamento (José Cruz/Agência Brasil)

O presidente da República, Michel Temer (PMDB), estará nesta quinta-feira, 5, no Maranhão. Ele irá à base de Alcântara para visitar as instalações do Centro de Lançamento. A passagem do peemedebista será rápida e não será aberta à imprensa, segundo a assessoria do Palácio do Planalto.

Temer vai ao Centro de Lançamento de Alcântara em um momento que está em negociação ceder o espaço para os Estados Unidos. A estimativa é de que o governo americano pagaria uma receita anual potencial de até US$ 1,5 bilhão.

O Palácio do Planalto não deu detalhes sobre a visita do presidente da República ao Centro de Lançamento.

O Estado apurou que aliados de Temer no Maranhão – até o fim da manhã desta quarta-feira, 4, ainda não tinham recebido convite oficial para participar da visita presidencial.

Impasse - O uso da Base de Alcântara é alvo de polêmica desde a gestão do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (FHC), que, em 2000, chegou a assinar um Tratado de Salvaguardas para que os americanos utilizassem a base com direito a sigilo total de seu equipamento.

Houve oposição do PT no Congresso ao texto, com apoio de alguns setores militares, que viam na concessão uma violação da soberania brasileira.

Já no governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o acordo com os americanos foi esquecido e um novo negócio foi firmado com a Ucrânia para o lançamento de modelos Cyclone-4 em 2004.

Depois de 11 anos, o acordo, que rendeu cerca de U$ 500 milhões, fracassou por problemas técnicos, e a então presidente Dilma Rousseff (PT) o cancelou. Já no atual, o Itamaraty retomou os contatos com os americanos.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte