Polícia | Criminalidade

Violência assusta na Ilha: quatro homicídios no primeiro dia do mês

Em um dos casos, assaltante enfrentou um PM e foi morto dentro de ônibus; crimes também no bairro Divineia e no José Reinaldo Tavares
Ismael Araujo02/10/2017
Violência assusta na Ilha: quatro homicídios no primeiro dia do mêsDesconhecido que foi morto quando assaltava ônibus (Divulgação)

SÃO LUÍS - A violência continua assustando na Região Metropolitana de São Luís. Dados da Secretaria de Segurança Pública (SSP) revelam que somente no primeiro dia deste mês quatro jovens foram mortos a tiros, além de três tentativas de homicídios, entre elas de um policial militar, nome não revelado. No mês passado foram registradas 51 mortes violentas, sendo 33 homicídios dolosos, uma morte por lesão corporal, um latrocínio (roubo seguido de morte), 10 mortes ocasionadas em acidente de trânsito, quatro afogamentos e dois achados de cadáver.

O caso mais recente ocorreu na tarde de ontem. Segundo informações do sargento Sílvio, lotado no 9º Batalhão da Polícia Militar, um jovem não identificado, teve acesso a um coletivo, de placas OJM-8729, na BR 135, nas proximidades da fábrica Oleama, como passageiro e inclusive pagando a sua passagem.

Esse criminoso portando uma arma de fogo após alguns minutos anunciou o assalto e começou a recolher objetos de valor dos passageiros. Um policial militar, que estava à paisana no ônibus, reagiu ao assalto. Houve tiroteio que acabou criando instalando o clima de pânico coletivo.

O sargento informou que o assaltante chegou a disparar mais de cinco tiros dentro do coletivo, atingindo de raspão no queixo do policial e outro passageiro foi atingido no ombro. Já o assaltante foi baleado no abdômen e morreu quando o coletivo parou nas proximidades do prédio do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), no bairro do Filipinho.

Ainda segundo Sílvio, os passageiros ficaram em pânico e a cobradora e o motorista em estado de choque. Uma passageira idosa passou mal e foi atendida pelos socorristas do Samu. Os baleados também receberam os primeiros atendimentos no local e foram levados para um hospital na capital, mas não correm risco de morte.

O corpo do assaltante foi removido para o Instituto Médico Legal (IML), no Bacanga, e até o começo da noite de ontem estava sem identificação. O coletivo ainda na tarde de ontem foi submetido a uma perícia no Instituto de Criminalística (Icrim), pois havia marcas de tiros no parabrisas, nas cadeiras, estilhaços de vidro e marcas de sangue. “Dois criminosos iriam realizar esse assalto, mas apenas um conseguiu ter acesso ao coletivo”, explicou o sargento.

Duplo homicídio

Na madrugada de domingo, a polícia registrou dois assassinatos e uma tentativa de homicídio no bairro da Divinéia. De acordo com as informações da polícia, um grupo criminoso composto por cinco homens não identificados, baleou Leandro Nascimento Veras, de 26 anos; Júlio Caio Pereira Lopes, de 19 anos; e Cláudio Cardoso Lopes, de 49 anos, quando estavam conversando na Travessa Taubaté.

Leandro Nascimento e Júlio Caio morreram no local, enquanto a outra vítima levada para o Hospital Municipal Socorrão I, no Centro, onde passou por tratamento cirúrgico, mas na tarde de ontem ainda corria risco de morte. A polícia não revelou a motivação desse crime e está sendo investigado pela equipe da Superintendência Estadual de Homicídios e Proteção a Pessoas (SHPP).

A SHPP também está investigando o assassinato de Nathália Costa Oliveira, de 22 anos. A polícia informou que a vítima foi baleada nas costas quando passava nas proximidades de um posto de combustível, localizado no Residencial José Reinaldo Tavares, em São José de Ribamar. Os acusados estavam em uma motocicleta.

Ela ainda foi levada para o Hospital Municipal Socorrão II, mas chegou sem vida. O corpo de Nathália foi levado para o IML onde foram realizados os exames de praxes e, logo depois liberado para os familiares.

Mais mortes

A polícia informou, ainda, que 51 mortes violentas ocorreram no mês passado na Ilha. A maioria dos casos ocasionada por arma de fogo. 90% das vítimas eram jovem inclusive as três últimas desse mês.

Os três jovens mortos foram José Carlos da Silva Martins, de 22 anos, morto a tiros no dia 30, na Vila Roseana Sarney, em São José de Ribamar; Adriano Gomes Oliveira, de 27 anos, morto também a tiros por homens não identificados, na Estiva, dia 29; e um adolescente, de 14 anos, morto a tiros, no dia 28, na Cidade Olímpica. A Polícia Civil está investigando o caso, mas até a tarde de ontem não tinha registro de prisão dos acusados.

Número

51

Foi o número de mortes violentas registradas pela Secretaria de Segurança Pública no mês de setembro na Região Metropolitana de São Luís; Este mês, foram quatro homicídios.

Frase

“Dois criminosos iriam realizar esse assalto, mas apenas um dos assaltantes conseguiu ter acesso ao coletivo”.

Sargento Silvio, da Polícia Militar

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte