Cidades | Sem infraestrutura

Estudantes de Medicina da UFMA, campus Pinheiro, protestam contra precariedade do curso

Na manhã desta quinta-feira (27), os alunos vieram para o campus do Bacanga cobrar soluções da reitoria; Protesto deixou trânsito engarrafado
oestadoma.com27/04/2017 às 11h00

SÃO LUÍS – Um grupo de estudantes do curso de Medicina da Universidade Federal do Maranhão, do campus de Pinheiro, realizou no início da manhã desta quinta-feira (27), um protesto em frente ao campus do Bacanga, em São Luís.

Manifestantes cobram soluções da reitoria.

Os estudantes cobram, da reitoria da universidade, melhorias na infraestrutura do prédio do curso em Pinheiro que, segundo eles, está inacabado. Além disso, os acadêmicos pedem professores e livros para os estudos. “Pinheiro também é UFMA e nós queremos aulas. No nosso campus não tem professor, pois, quando há concurso, nenhum professor da área médica quer vir para a cidade, porque o piso salarial é muito baixo, um pouco mais de R$ 2 mil”, relata um dos estudantes.

Essa não é a primeira vez que os estudantes reclamam das más condições do curso.

Relembre: Futuros médicos de Pinheiro pedem socorro

Outro motivo de reclamação dos acadêmicos de Medicina de Pinheiro foi uma mudança no projeto pedagógico do curso, que, segundo os estudantes, a UFMA simplesmente aceitou sem fazer nenhuma objeção. Com isso, vários alunos terão que repetir o período.

Alunos de Pinheiro vieram para São Luís.

Os acadêmicos, utilizando cartazes com as reivindicações, interditaram a entrada do campus do Bacanga por várias horas, depois, seguiram para ao prédio da reitoria da universidade. Segundo os estudantes, eles só vão sair do local quando forem ouvidos e tiveram seus pedidos atendidos pela administração da UFMA. “Vamos ficar aqui quantos dias forem necessários”, afirmam os manifestantes.

Por causa do protesto, o trânsito ficou completamente congestionado do Terminal de Integração da Praia Grande até a UFMA.

Região ficou congestionada.

Em alguns trechos da via, motoristas chegaram a subir no canteiro central para fugir do engarrafamento.

Alguns motoristas tentaram se livrar do engarrafamento.

Em nota, a assessoria de comunicação da UFMA informou que a reitora, Nair Portela, está em Brasília para tratar, junto ao MEC, a expansão do curso de medicina.

"A Universidade Federal do Maranhão informa que a reitora Nair Portela está em Brasília para tratar com o MEC sobre a expansão do curso de Medicina implantado pelo Governo Federal, e que a administração da universidade tem se reunido continuamente com estudantes, professores e servidores para equacionar os problemas. Uma comissão de estudantes foi recebida nesta manhã por gestores da UFMA para atender às demandas emergenciais do curso de Medicina de Pinheiro", diz a nota.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte