Alternativo | Literatura

Melhores Contos de Alcântara Machado reunidos em publicação

Seleção do autor de "Brás, Bexiga e Barra Funda" foram selecionados para compor um livro lançado pela Global Editora
19/02/2017 às 07h00
Melhores Contos de Alcântara Machado reunidos em publicaçãoAlcântara Machado é reconhecido como um expoente do Modernismo brasileiro (Divulgação)

O nome de Alcântara Machado remete quase que de maneira direta ao seu livro de contos Brás, Bexiga e Barra Funda, publicado pela primeira vez em 1927. Essa seleção, em pocket, (Global Editora, 172 páginas, R$ 23,90) cuidadosamente feita por Marcos Antonio de Moraes, professor do Instituto de Estudos Brasileiros da USP e profundo estudioso do movimento literário modernista, enriquece tal visão ao reunir, além dos já consagrados, contos do autor que até a publicação dessa antologia eram bem pouco conhecidos.

A linguagem dos contos de Alcântara Machado traz um frescor e uma inovação que se revelariam típicos do movimento modernista iniciado em 1922. Fruto de sua atividade jornalística em diários paulistanos, o autor lança mão de forma ousada de cartazes de rua, notícias, anúncios de jornal, letras de música e até de dizeres ouvidos das torcidas de futebol para recompor com sua renovada prosa a vida do dia a dia da São Paulo que se abriria para a entrada de uma enorme massa de imigrantes estrangeiros.

As estratégias arquitetadas pelo contista para nos aproximar do modo de vida dos imigrantes italianos que se estabeleceram em São Paulo na virada do século XIX para o XX nos transportam para os meandros da luta pela sobrevivência desses novos habitantes da cidade grande. É como se o leitor entrasse numa máquina do tempo que o conduz para muito perto do cotidiano das ruas do centro e dos arrabaldes da cidade, permeadas pelos estrangeiros que aceitaram o desafio de “fazer a América” e, assim, lutaram bravamente para se integrar nos mundos do operariado paulistano. É admirável perceber que ao mesmo tempo que testemunhamos nos contos do livro momentos poderosos de forte crítica social, também presenciamos instantes preciosos de humor como no célebre “Gaetaninho”, cujo personagem principal que dá nome ao conto – um jovem garoto filho de italianos – se diverte com o sonho inusitado que tem relacionado à morte de sua tia Filomena.

Procurando dirigir seu olhar sobre o “ítalo-paulista”, o autor explora toda a complexidade da alma daqueles homens e mulheres que, ao adotarem uma pátria nova, acabariam modificando a nova paisagem urbana, com seus costumes e sua língua.

Sobre o autor: Alcântara Machado nasceu em São Paulo, no dia 25 de maio de 1901. Foi um dos mais importantes escritores do primeiro tempo modernista. O mundo do imigrante italiano e seus esforços de integração a São Paulo deram ao autor a temática e o estilo no qual ele escreveu seus contos. São Paulo sempre esteve no centro de seus interesses, daí o nome de sua mais importante obra, "Brás, Bexiga e Barra Funda", nome de bairros onde se radicaram os imigrantes italianos. Faleceu em São Paulo, no dia 14 de abril de 1935.

Leia mais notícias em OEstadoMA.com e siga nossas páginas no Facebook, no Twitter e no Instagram. Envie informações à Redação do Jornal de O Estado por WhatsApp pelo telefone (98) 99209 2564.

© 2019 - Todos os direitos reservados.
Tamanho da
Fonte