Julgamento

Acusado de estupro e homicídio é julgado em Tutóia

O ato criminoso ocorreu na cidade de Paulino Neves e teve como vítima uma adolescente, de 17 anos.

Imirante.com

- Atualizada em 26/03/2022 às 18h02

TUTÓIA- O Poder Judiciário vai julgar Hamilton Araújo Ferreira, nesta terça-feira (22), pelos crimes de violência sexual e assassinato, que teve como vítima uma adolescente, de 17 anos. Segundo a polícia, o crime ocorreu no dia 1º de janeiro de 2017, na cidade de Paulino Neves, interior do Maranhão.

Leia também em:

Acusados de agredir homem até a morte na capital serão julgados

Começa em São Luís o julgamento do PM e do vigilante acusados de triplo homicídio no Coquilho

O julgamento vai ocorrer no auditório da Secretaria de Educação de Tutóia e presidida pelo juiz da 1ª Vara da Comarca de Araioses, Marcelo Fontenele Vieira. Durante a sessão, o magistrado vai ouvir as testemunhas, o acusado como também abrir o espaço para a explanação da defesa e do representante do Ministério Público.

A denúncia feita pelo Ministério Público é que a vítima foi encontrada morta em um terreno próximo a sua residência, em Paulino Neves. Havia marcas de estrangulamento e de violência sexual. Nesse local, a polícia encontrou marcas de sandália de uma marca preferida do acusado.

Hamilton Ferreira compareceu descalço ao velório da vítima. Este fato acabou chamando a atenção de todos. Foram notadas, ainda, algumas marcas da mesma sandália que, pelo posicionamento, indicavam que quem as calcava tentava entrar na casa da adolescente.

Ainda marcas semelhantes foram encontradas próximas ao corpo da vítima. Apurou-se que o acusado já havia mantido relacionamento amoroso com a mãe da vítima, sendo que o mesmo admitiu que investiu contra a menina por várias, objetivando relacionar-se sexualmente com ela, inclusive, enviando mensagens que nunca eram respondidas.

Narram os autos que uma testemunha teria visto o denunciado no local do crime, no mesmo horário em que ocorreu. Para a polícia, a autoria delitiva está demonstrada pelos depoimentos das testemunhas ouvidas durante a investigação policial.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.