Prisão

Terceiro suspeito de matar advogado no Piauí é preso em Timon

O advogado foi abordado pelos criminosos no município piauiense de Luís Correia e achado morto na cidade maranhense de Humberto de Campos.

Imirante.com

A morte do advogado Raimundo Siqueira é investigada pela Polícia Civil do Piauí.
A morte do advogado Raimundo Siqueira é investigada pela Polícia Civil do Piauí. (Foto: Divulgação)

TIMON -  O terceiro suspeito do assassinato do advogado Raimundo José Costa Siqueira, de 41 anos, foi preso nesta quarta-feira (3), na cidade maranhense de Timon. Segundo a Polícia Civil, a vítima desapareceu no dia 6 de abril deste ano, na cidade piauiense de Luís Correia e, após 17 dias, foi achado morto em uma praia da cidade de Humberto de Campos, interior do Maranhão.

Leia também em:

Advogado é encontrado morto em apartamento no bairro Renascença, em São Luís

Três foragidos da Justiça são presos durante operação em Timon

A morte do advogado Raimundo Siqueira é investigada pela Grupo de Repressão ao Crime Organizado da Polícia Civil do Piauí. Ainda de acordo com a polícia, o suspeito foi localizado em Timon e levado para a capital piauiense. 

Ele também foi preso em flagrante por uso de documento falso devido apresentar documentos falsos no momento da abordagem policial. O detido, além de ser suspeito da morte do advogado Raimundo Siqueira, também teria tentado matar um policial rodoviário federal, no ano de 2014. 

Outros presos

Os policiais prenderam no dia 20 do mês passado, em Peritoró, interior do Maranhão, outros dois suspeitos da morte de Raimundo Siqueira. A prisão foi em cumprimento de ordem judicial e os suspeitos estavam em uma residência, na rua Eletronorte. 

Em poder deles, os policiais apreenderam armas, munições, um veículo e uma quantia de R$ 56.670,00. Um dos detidos é ex-policial militar e também é suspeito de ter matado um policial rodoviário federal.

Ação criminosa 

A polícia também informou que Raimundo Siqueira estava na companhia do cabo da Polícia Militar do Piauí, nome não revelado, quando foi abordado por criminosos portando armas de fogo na cidade de Luís Correia.

Durante o ato criminoso, o cabo chegou a ser baleado nas pernas e levado para um hospital, em Parnaíba, no Piauí. Enquanto, o advogado desapareceu e foi achado morto, no dia 23 de abril deste ano, em Humberto de Campos, no Maranhão. A motivação desse crime ainda está sendo apurada.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.