Homicídio

Preso no Pará primo que confessou ter matado cabeleireiro no Maranhão

Antônio Flávio Maciel, de 34 anos, estava desaparecido desde o dia 30 de maio; segundo a polícia, motivação do crime foi uma dívida que o primo tinha com o cabeleireiro.

Imirante.com

- Atualizada em 27/03/2022 às 11h02
Moisés Macedo de Morais confessou ter matado o primo com golpes de faca.
Moisés Macedo de Morais confessou ter matado o primo com golpes de faca. (Foto: Divulgação)

SÍTIO NOVO - Foi preso nessa sexta-feira (11), Moisés Macedo de Morais, que confessou ter matado o cabeleireiro Antônio Flávio Maciel, de 34 anos, no município de Sítio Novo, distante 675 km de São Luís, a golpes de faca. O corpo da vítima, que estava desparecida desde o dia 30 de maio, foi encontrado às margens da BR-316. Moisés foi preso na cidade de Pacajá, no Pará.

De acordo com a Polícia Civil do Maranhão, Moisés Macedo era primo de Antônio Flávio e é quem aparece nas imagens das câmaras de segurança que flagraram a vítima em vida pela última vez. Ele foi preso em uma operação coordenada pelo Delegacia Regional de Imperatriz.

Ainda segundo a polícia, contra Moisés já havia um mandado de prisão preventiva expedido contra ele. O suspeito acabou confessando o crime e disse à polícia que matou Flávio com golpes de faca por causa de uma dívida que tinha com a vítima. O suspeito já foi transferido para Imperatriz e encaminhado à Unidade Prisional (UPRI).

Relembre o caso

A família de Antônio Flávio Maciel procurou a polícia assim que percebeu a demora da vítima em fazer contato novamente ou retornar para casa, após o cabeleireiro ter saído de Sítio Novo para a cidade de Grajaú comprar uma motocicleta.

Com as investigações, imagens de câmeras de segurança foram colhidas na cidade de Sítio Novo: na última vez que foi visto, Flávio aparece pilotando uma motocicleta com um homem na garupa. O veículo foi encontrado dias depois, abandonado na cidade de Grajaú.

Nessa quinta-feira (10), restos mortais, além de vários objetos como roupas, botas, um capacete e boné foram encontrados às margens da BR-226, em Grajaú. Principalmente pelas características dos elementos espalhados próximos aos ossos, a polícia acredita que podem ser do cabeleireiro Antônio Flávio Maciel.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter e Instagram e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.