(Divulgação)

COLUNA

Marcos Silva
Marcos Silva Marcos Silva é assistente social, historiador e sociólogo.
Marcos Silva

Abastecimento de água na cidade de Pinheiro/MA!

UNIVERSALIZAR os serviços de abastecimento de água e o esgotamento sanitário é um grande desafio da década.

Marcos Silva

- Atualizada em 01/11/2023 às 11h36

Conforme o Plano municipal de saneamento básico do município de Pinheiro a população urbana atendida por serviços de abastecimento de água corresponde a 95%. Sendo 44% da população urbana atendida pela CAEMA (Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão) e 51% pelo SAA (Sistema Autônomo de Abastecimento de Água) pertencente à prefeitura.

No entanto, o Sistema da Prefeitura oferta água por meio de poços com captação em lençol freático. Ou seja, uma água sujeita a contaminação por ferro e sal.  O que coloca a saúde da população em risco.

Até o ano de 2021 de acordo com o SNIS a CAEMA atendia a população urbana na ordem de 42,63% e o total do município em 25,36%. Uma quantidade consumo per capito dia de 130,38 litros de água entre os que têm acesso aos serviços da estatal maranhense. As perdas de faturamento chegam a 71,63%, ou seja, de tudo que a operadora distribui em água, só cobra esse referido percentual.  Quanto às perdas na distribuição físicas e aparentes, água que se perde em vazamentos e em ligações ditas clandestinas o percentual chega a 71,73%. Um negócio insustentável.

Tal realidade é produto de um baixo índice de medição, a hidrometração chega somente a 27,98% das ligações. Além claro dos vazamentos em alguns casos pela existência de redes de cimento amianto que não suportam a pressão da água. Destacamos que a população do município cresceu nessas três últimas décadas saindo de uma população em torno de 30 mil habitantes para mais de 80 mil na atualidade.

O governo do estado na época Roseana Sarney viabilizou recursos do governo federal contratados no ano de 2012, no governo Dilma Rousseff/PT na ordem de mais de 8,5 milhões de reais para investir em obras de ampliação do sistema de abastecimento de água da Cidade operado pela CAEMA. A obra além de duplicar a oferta de água tratada dos atuais 400m³/hora para 800m³/hora, também deveria fazer expansão de redes de distribuição em bairros tipo Dondona Soares, Kiola Sarney, Vila Filuca e Bubalina. No entanto, a obra teve atrasos na execução por mais de 10 anos em função de incapacidade técnica das gestões em resolver os entraves institucionais entre CAEMA e Prefeitura. 

Bem como o ambiente federal de tentativas de desgaste das empresas estaduais de saneamento básico em favor do processo de privatização.

Recentemente o governador socialista Carlos Brandão/PSB conseguiu por meio dos esforços da atual gestão da CAEMA e com a colaboração do novo ambiente institucional federal finalmente se inaugurou a nova Estação de captação e tratamento de água da Cidade de Pinheiro. Finalmente as áreas urbanas do município de Pinheiro vão contar com água tratada. Pois a produção ampliou-se de em média 350m³/hora para 700m³/hora.

Como produto dessa inauguração na sexta-feira 27/10/2023 às 19:30 horas na cidade de Pinheiro a CAEMA por intermédio do Projeto de Trabalho Social (PTS) entregou os certificados do curso de bombeiro hidráulico com boas práticas ambientais. Na oportunidade foi realizada uma aula sobre saneamento ambiental como componente do currículo.

A referida aula teve o seguinte conteúdo:  a) o ciclo da água e a importância para a produção de água doce; b) Funcionamento dos sistemas de abastecimento de água urbano e esgotamento sanitário coletivo e alternativas individuais (fossas sépticas); c) por último, como fazer uso racional da água potável e a necessidade do uso do hidrômetro.

No sábado 28/10/2023 pela manhã foi realizada uma escuta coletiva sobre as expectativas da população com os serviços de abastecimento de água da CAEMA no Bairro Dondona Soares. Também escutas individuais em algumas residências. A atividade também foi realizada na tarde na Vila Zé Genésio.

Foi constatado a existência de uma grande expectativa dos moradores pelo recebimento de água tratada produzida pela CAEMA. Pois, essas famílias há muitos anos vêm fazendo uso de água de poços perfurados no lençol freático raso ou profundo. No entanto, com a possibilidade de influência de ferro e sal na água. Condições essa nociva à saúde humana e principalmente para a saúde das crianças.

Vale destacar que há 30 anos a população de Pinheiro girava em torno de no máximo 30 mil habitantes. Hoje possui uma população conforme o censo IBGE (2022) superior a 80 mil habitantes.

Atualmente a CAEMA produz água tratada capaz de assegurar para as áreas urbanas da princesa da baixada, o equivalente a 300 litros de água diária por habitantes. Destacamos que para a ONU (Organização das Nações Unidas) a quantidade de 110 litros de água por pessoa é o suficiente para garantir a segurança no abastecimento e bem-estar social.

Agora o desafio vai ser fazer a água chegar a todas as residências urbanas com segurança e qualidade.

Portanto será necessário investimentos em redes de distribuição e uma forte parceria institucional entre prefeitura e CAEMA. Isso vai contribuir para a melhoria nas condições de vida da população de Pinheiro, que em sua maioria é parte de um povo sofrido e em situação de vulnerabilidade social.

Quero lembrar também a necessidade da realização de campanhas de educação ambiental com foco na proteção dos recursos hídricos e uso racional da água é um instrumento de extrema relevância.

A cidade tem como riqueza hídrica o Rio Pericumã que lamentavelmente vem sofrendo ataques significativos, o que coloca em risco a perenidade. Existe uma barragem construída no ano de 1982 no rio Pericumã a 11 km de distância da cidade e a 40 km da foz. Essa estrutura é importante para reservar água doce para captação de água doce para o tratamento e uso humano.

A CAEMA precisa realizar cadastro das famílias que vão receber ou já receberam água da estatal maranhense garantido água em qualidade e com medição para que cada família tenha responsabilidade no uso da água.

Outro aspecto importante é a prefeitura e o governo do estado por meio da SEDES ampliar na cidade o programa viva água para assegurar o acesso a água pelas famílias em situação de extrema pobreza. O governador socialista Carlos Brandão sabe que cuidar da CAEMA é cuidar das pessoas e do meio ambiente.

UNIVERSALIZAR os serviços de abastecimento de água e o esgotamento sanitário é um grande desafio da década.

As opiniões, crenças e posicionamentos expostos em artigos e/ou textos de opinião não representam a posição do Imirante.com. A responsabilidade pelas publicações destes restringe-se aos respectivos autores.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram, TikTok e canal no Whatsapp. Curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.