Grave

Procuradora diz que Domingos Paz ameaçou matar dois vereadores de São Luís

Jéssica Thereza Marques Ribeiro Araújo, procuradora da Câmara, registrou boletim de ocorrência informando que teria ouvido ameaça de Domingos Paz contra outros dois vereadores.

Ipolítica

- Atualizada em 26/10/2023 às 13h16

SÃO LUÍS - Uma grave denúncia de ameaça de assassinato envolvendo vereadores de São Luís, deverá ser investigada pela Polícia Civil do Maranhão. A denúncia foi feita pela procuradora geral da Câmara Municipal, Jéssica Thereza Marques Ribeiro Araújo. Ela contou à polícia ter recebido a informação de que o vereador Domingos Paz (Podemos) prometeu assassinar a tiros dois vereadores, colegas de Parlamento e em seguida recorrer ao suicídio. 

O relato ganha repercussão dois dias depois do tumulto registrado na Câmara, protagonizado por Domingos Paz e Álvaro Pires (PSDB). Na ocasião houve forte discussão entre os dois, trocas de acusações e xingamentos. Como consequência, a sessão da Câmara foi suspensa. Álvaro precisou ser retirado do Plenário por colegas e seguranças da Casa.

Boletim de Ocorrência relata grave ameaça supostamente cometida pelo vereador Domingos Paz
Boletim de Ocorrência relata grave ameaça supostamente cometida pelo vereador Domingos Paz

BO

No boletim de ocorrência, sem muitos detalhes, há apenas o relato de que a procuradora Jéssica Thereza soube que Domingos Paz teria assegurado ao colega Beto Castro (PMB) que iria para a Câmara Municipal armado, e lá executaria outros dois desafetos. Logo em seguida, de acordo com a procuradora, ele iria se matar.

Não há citação a respeito de quem seriam os alvos de Paz. 

A polícia destaca no boletim que o registro é para os devidos fins de direito. 

O Imirante acionou o vereador Domingos Paz para obter um posicionamento a respeito da grave denúncia, e aguarda retorno. Em nota o vereador classificou as acusações de caluniosa e cruel. Ele também disse que nunca chegou perto de uma arma de fogo na sua vida. 

Veja a nota de Domingos Paz abaixo: 

Venho a público, por meio desta nota, esclarecer que estou sendo vítima, mais uma vez, de uma acusação caluniosa e cruel por parte de pessoas que não têm compromisso com a verdade.

Tenho 52 anos, nunca cheguei perto de uma arma de fogo e jamais teria a coragem de tentar algo contra a vida de quem quer que seja, ou contra a minha própria vida.
Minha vida é regida pela Palavra de Deus, na qual a comunhão, o amor ao próximo, a paz e a valorização da vida são princípios inegociáveis.
Como é do conhecimento de todos, na última terça-feira, durante a Sessão Ordinária da Câmara Municipal de São Luís-MA, fui levianamente atacado, mas em nenhum momento eu tentei agredir qualquer vereador ou dirigir palavras de cunho ameaçador a quem quer que seja.
Sempre ajo com todo o respeito que aquela casa exige em relação aos meus pares, pois entendo ser possível um debate divergente e respeitoso.
Reafirmo mais uma vez que estou sendo vítima de uma perseguição política de forma extremamente cruel.
Minha equipe jurídica seguirá tomando as providências cabíveis para a total resolução e esclarecimento dessa acusação sem fundamento.

O Imirante também entrou em contato com o vereador Beto Castro, citado no boletim de ocorrência, e espera por um posicionamento.

A Mesa Diretora da Câmara ainda não se manifestou sobre o tema.

Confusão

Na terça-feira Domingos Paz e Álvaro Pires precisaram ser contidos por colegas de Parlamento e seguranças da Casa, após forte discussão, troca de acusações e tumulto em Plenário. 

O bate-boca começou depois de Domingos Paz ter defendido a gestão municipal, em discurso e criticado a Câmara. Ele chegou a afirmar que o Parlamento é quem deveria ser ‘investigado por causa de irregularidades’, e não o prefeito Eduardo Braide (PSD).

Incomodado com o posicionamento de Paz, Álvaro Pires rebateu, e afirmou que quem deve explicações à Justiça e à sociedade é o vereador Domingos Paz.

Ele lembrou que Paz é alvo de um inquérito policial após mulheres terem o denunciado por abuso sexual.

Os ânimos se exaltaram, mas não houve agressões físicas. 

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram, TikTok e canal no Whatsapp. Curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.