Investigação

Polícia confirma que linhas de pipa foram encontradas em paramotor pilotado por empresário que caiu e morreu em praia de São Luís

Vítima foi identificada como Sandro Antonio Schons, de 52 anos; acidente aconteceu no dia 14 de agosto, na praia do Calhau, em São Luís.

Imirante.com

- Atualizada em 29/08/2022 às 12h42
Empresário chegou a ser socorrido no local, mas morreu ao dar entrada em um hospital privado da capital maranhense.
Empresário chegou a ser socorrido no local, mas morreu ao dar entrada em um hospital privado da capital maranhense. (Foto: Divulgação)

SÃO LUÍS – Será enviado para a perícia, nesta segunda-feira (29), o equipamento paramotor usado pelo empresário Sandro Antonio Schons, de 52 anos, que morreu ao cair de uma altura aproximada de 10 metros, no dia 14 de agosto, durante um sobrevoo na praia do Calhau, em São Luís. Esta é mais uma etapa da investigação, que busca identificar a causa da queda do piloto que era experiente na prática do aeromodelismo. 

De acordo com a Polícia Civil do Maranhão (PC-MA), até o momento, a esposa de Sandro e um bombeiro que ajudou a socorrer o piloto já foram ouvidos. Porém, ainda segundo a polícia, um outro depoimento, considerado crucial para as investigações, ainda será colhido, que é o de um garçom que foi um dos primeiros a prestar socorro a Sandro Antonio Schons.

Segundo o delegado Eduardo Jansen, de forma extraoficial, já existe a informação de que linhas de pipa foram encontradas junto ao parapente usado por Sandro, o que reforça a tese de que uma linha com cerol teria cortado parte do equipamento e causado a queda do piloto.

A versão de que o acidente teria sido causado por uma linha de cerol, é a mesma do instrutor de aeromodelismo, Leônidas Oliveira, que testemunhou a queda de Sandro. Segundo o instrutor, somente algo altamente cortante poderia ter danificado o equipamento.

"Sem sombra de dúvidas e sem achismo. Ele [Sandro] voava com equipamento novo. A asa dele eu acho que tem quatro a cinco meses de comprada. Então não deve ter quebrado. Esse material eu nunca vi quebrar. É um material desenvolvido pela Nasa, o kevlar, usado até em colete balístico. Então, é um negócio bem seguro para quebrar assim. E quando eu fui lá prestar os primeiros socorros, pude observar um conjunto de linhas [da asa] cortado mesmo, um tirante de linhas, do lado direito", contou Leônidas. 

Entretanto, segundo o delegado Eduardo Jansen, essas informações precisam ser confirmadas pelo Instituto de Criminalística (Icrim), que somente nesta segunda terá acesso ao equipamento. Com as informações técnicas, a Polícia Civil pretende buscar e responsabilizar possíveis suspeitos de terem ocasionado o acidente.

O acidente

Nas imagens, é possível ver o piloto sobrevoando a praia do Calhau até que, de forma repentina, Sandro perde a altitude e sofre o acidente, caindo direto na areia. 

De acordo com o Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão (CBMMA), Sandro ainda chegou a ser socorrido no local, mas morreu ao dar entrada em um hospital privado da capital maranhense. 

Sandro Antonio Schons foi sepultado em um cemitério da Região Metropolitana de São Luís.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.