Sem acordo

Classe empresarial pede demissão de cobradores; Sindicato não aceita

Uma audiência de mediação entre o Sindicato dos Rodoviários do Maranhão e as empresas de transporte foi realizada na manhã desta quinta-feira (10) e terminou sem acordo.

Imirante.com

- Atualizada em 26/03/2022 às 18h22
Além de representantes das entidades sindicais, a audiência contou com a participação de representantes da Prefeitura de São Luís e do Governo do Estado.
Além de representantes das entidades sindicais, a audiência contou com a participação de representantes da Prefeitura de São Luís e do Governo do Estado. (Foto: Matheus Soares / Grupo Mirante)

SÃO LUÍS - O Sindicato dos Rodoviários do Maranhão e as empresas de transporte participaram de uma audiência de mediação na manhã desta quinta-feira (10) que terminou sem acordo sobre o reajuste salarial da categoria rodoviária para a data-base de 2022.

A audiência foi realizada na sede do órgão ministerial trabalhista, em São Luís, e presidida pelo procurador do Trabalho Marcos Rosa. Além de representantes das entidades sindicais, a audiência contou com a participação de representantes da Prefeitura de São Luís (Secretaria Municipal de Trânsito e Transporte e Procuradoria do Município) e do Governo do Estado (MOB - Agência Estadual de Mobilidade Urbana e Serviços Públicos).

Leia também: Sindicato dos Rodoviários informa que pode iniciar greve a qualquer momento na Grande São Luís

Até o momento, não há uma nova audiência de mediação prevista. De acordo com o sindicato dos rodoviários, a classe empresarial alega não ter receita para garantir o reajuste salarial e aumento no valor do ticket alimentação.

“Mais do que nunca, precisamos da união, da força de toda a nossa categoria, para que possamos ter as nossas reivindicações atendidas. Demitir os cobradores do sistema, revela a falta de consideração, de respeito e até de humanidade, com uma classe que trabalha dia após dia, correndo riscos, inclusive, de ser alvo de criminosos. De quem esperávamos mais respeito, nós não temos. Tranquilizo aqui todos os meus companheiros cobradores, de que essa proposta não será aceita e se não nos restar outra alternativa, vamos parar novamente o ônibus em São Luís. Seguiremos firmes na luta, pela garantia dos nossos direitos”, ressalta Marcelo Brito, Presidente do Sindicato dos Rodoviários do Maranhão.

Em nota, o Sindicato dos Rodoviários afirmou que Marcelo Brito, Presidente do Sindicato dos Rodoviários do Maranhão, demonstrou total revolta, com a oferta dos empresários, considerada por ele, vergonhosa e desrespeitosa com toda a categoria.

Leia a nota na íntegra:

Em audiência de mediação realizada na manhã desta quinta-feira (10), no MPT-MA, Rodoviários e empresários retomaram as discussões em torno das cláusulas econômicas, da nova Convenção Coletiva de Trabalho, com vigência para 2022.

Mais uma vez, os patrões foram para a audiência, sem uma proposta que atenda as reivindicações dos trabalhadores. A classe empresarial, alega não ter receita para garantir o reajuste salarial e aumento no valor do ticket alimentação.

Durante a audiência conduzida pelo procurador do trabalho, Marcos Rosa e que também contou com a presença de representantes do município de São Luís e na presença de todas as partes envolvidas, o SET resolveu lançar uma contraproposta, considerada absurda, pelo sindicato que defende os interesses dos Rodoviários: 5% de reajuste no salário e no valor do ticket alimentação, mas somente, se a entidade concordasse com a dispensa de todos os cobradores do sistema.

Marcelo Brito, Presidente do Sindicato dos Rodoviários do Maranhão, demonstrou total revolta, com a oferta dos empresários, considerada por ele, vergonhosa e desrespeitosa com toda a categoria. Durante a audiência de mediação, Marcelo Beito voltou a afirmar, que diante dessa contraproposta não restará outra alternativa que não seja, toda a categoria cruzar os braços.

“Mais do que nunca, precisamos da união, da força de toda a nossa categoria, para que possamos ter as nossas reivindicações atendidas. Demitir os cobradores do sistema, revela a falta de consideração, de respeito e até de humanidade, com uma classe que trabalha dia após dia, correndo riscos, inclusive, de ser alvo de criminosos. De quem esperávamos mais respeito, nós não temos. Tranquilizo aqui todos os meus companheiros cobradores, de que essa proposta não será aceita e se não nos restar outra alternativa, vamos parar novamente o ônibus em São Luís. Seguiremos firmes na luta, pela garantia dos nossos direitos”, ressalta Marcelo Brito, Presidente do Sindicato dos Rodoviários do Maranhão.

Ascom Sind. Rodoviários - MA

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.