Estado Maior

Sem vacina contra gripe, Prefeitura aposta em atendimento médico

Prefeito de São Luís Eduardo Braide anunciou mais dois Centros de Atendimento a Síndromes Gripais para garantir assistência médica para quem tiver sintomas da covid ou da H3N2.

Imirante

- Atualizada em 26/03/2022 às 18h42
Eduardo Braide anunciou ainda que disponibilizará testes para Covid nos terminais de integração
Eduardo Braide anunciou ainda que disponibilizará testes para Covid nos terminais de integração (Prefeitura de São Luís)

SÃO LUÍS - Em São Luís, a Prefeitura de São Luís anunciou ações para garantir atendimento médico para as pessoas que estão com sintomas da Covid-19 ou da gripe H3N2. São dois novos Centro de Atendimento de Síndromes Gripais e mais disponibilidade de teste do novo coronavírus nos terminais da integração.

Parece bem estranho uma gestão anunciar ações que não são de combate aos vírus e sim de garantia de atendimento de quem ficar doente. No caso da H3N2, o motivo para a ação de atendimento médico e não de prevenção é que não há mais doses da vacina contra gripe disponíveis nem em São Luís, nem no governo estadual e nem no Ministério da Saúde.

As doses da vacina contra H1N1 esgotaram e somente devem ser disponibilizadas novamente em março. Até lá, há um possível surto da H3N2.

Além disto, as autoridades já consideram uma nova onda da Covid-19 com a variante ômicron ainda no mês de janeiro.

Mesmo assim, as festas de fim de ano ocorreram sem maiores fiscalizações e restrições, o pré-carnaval já teve seus primeiros encontros com blocos e bandas nas ruas e a permissão para o não uso de máscara continua valendo.

Com dois inimigos respiratórios já circulando pelo país, com a ausência do poder público com medidas mais pontuais, resta o cidadão ter a consciência e usar máscara, álcool gel e evitar aglomerações.

Problema

Sobre o pré-carnaval em São Luís, o secretário estadual de Saúde, Carlos Lula, disse à coluna que é um problema este tipo de festa.

Sem uma medida que regulamente a forma como o pré-carnaval pode acontecer (ou se deve acontecer), o governo estadual e a Prefeitura de São Luís precisa trabalhar em conjunto.

Mas pelo o quê anunciou nesta segunda-feira, 3, o prefeito Eduardo Braide, não parece haver disposição da Prefeitura de São Luís de regulamentar ou proibir o pré-carnaval.

Só o carnaval

Na verdade, sobre festas momescas, o governo do Maranhão tem focado somente nos dias do Carnaval.

Tanto que o governador Flávio Dino disse que no fim de janeiro vai se posicionar sobre a realização ou não dos dias da festa.

Enquanto Dino ainda coloca no campo das possibilidades o Carnaval realizado pelo governo, Carlos Lula disse à CNN que o prudente e ideal é que o Carnaval não ocorra no Brasil todo.

Testou positivo

E falando em Flávio Dino, o governador postou nas redes sociais que testou positivo para Covid-19. A postagem ocorreu na noite da segunda-feira, 3.

Segundo o socialista, ele está bem o que não o impede de fazer despachos internos, em isolamento domiciliar.

Ainda de acordo com Flávio Dino, se houver alteração em seu quadro de saúde, será informada à população.

Comissão de recesso

A Câmara Municipal de São Luís anunciou a comissão de recesso da Casa que ficará disponível durante o período de suspensão das atividades.

Cinco vereadores compõem a comissão: Coletivo Nós (PT), Francisco Chaguinhas (Podemos), Daniel Oliveira (PL), Domingos Paz (Podemos), Ribeiro Neto (PMN) e Rosana da Saúde (Republicanos).

O primeiro compromisso dos parlamentares será ir a Secretaria Municipal de Saúde (Semus) para saber das ações contra Covid-19 e H3N2.

Educação

Outro foco desta comissão será fiscalizar as reformas e manutenção das escolas municipais para que haja o retorno das aulas em 2022.

à TV Mirante, o prefeito Eduardo Braide garantiu que todas as mais de 260 unidades escolares da rede municipal de São Luís funcionarão a partir do dia 1º de fevereiro.

Os vereadores querem garantir que as reformas estão em andamento e que seja concluída dentro do prazo anunciado pelo prefeito.

Em silêncio

Os pré-candidatos ao governo do estado pelo grupo do governador Flávio Dino, Carlos Brandão (PSDB) e Weverton Rocha (PDT), escolherem estratégias parecidas.

Até o próximo dia 31, os dois adversários pretendem ser menos intensos na pré-campanha e chamar menos atenção.

Menos discursos, menos atos de demonstração de força pelo menos até uma semana antes do dia da decisão sobre o apoio do grupo Dino.

E mais:

- Existe a previsão de que parte dos deputados estaduais que declararam apoio a Carlos Brandão se filiem no PV, do deputado Adriano Sarney.

- O motivo é que o PSB, principal destino partidário dos palacianos, já está com seus quadros cheios demais de futuros candidatos.

- Como o PV agora é da base de apoio do vice-governador, Brandão acordou em levar nomes fortes para o partido e ajudar na musculatura política da legenda.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.