Estado Maior

Negociação em curso entre PT e PDT, segundo Haddad

Ex-prefeito de São Paulo disse ao site Uol que o PT negocia apoio do PDT em vários estados e entre eles o Maranhão; petista citou o nome do senador Weverton Rocha como possível aliado do PT em 2022

Carla Lima/Editora de Política

- Atualizada em 26/03/2022 às 19h05
Ao falar em diálogo com o PDT para uma aliança em São Paulo, Haddad confirmou negociações dos dois partidos no Maranhão
Ao falar em diálogo com o PDT para uma aliança em São Paulo, Haddad confirmou negociações dos dois partidos no Maranhão (Foto: Agência Brasil)

O petista Fernando Haddad, que foi prefeito de São Paulo e também candidato a presidente em 2018 – deu mais um indicativo de que o seu partido mantém diálogo com o PDT de Carlos Lupi e Weverton Rocha para uma aliança em 2022 no Maranhão.

Ao portal UOL, Haddad disse que as conversas avançam e acredita os dois partidos podem caminhar juntos em vários estados a exemplo do Ceará.

O que disse Haddad demonstra que os movimentos do PT no Maranhão por uma candidatura própria do secretário de estado Felipe Camarão é localizado.

Expressões de desejo de uns e estratégias de outros palacianos para dar força ao auxiliar de Flávio Dino (PSB) e a impressão de que no fim de tudo, Camarão tem todas as condições de compor a chapa com o candidato que será escolhido pelo governador maranhense.

Mas o fato é que a pauta da direção nacional em relação ao Maranhão está mais inclinada a um acordo com o PDT do que uma eventual candidatura própria e menos ainda uma aliança com o PSDB.

E se o governador Flávio Dino definir logo o nome que terá seu apoio para o Palácio dos Leões em 2022, deixe mais distante ainda o nome de Felipe Camarão na pauta da direção nacional.

Silêncio

Sobre o que disse Fernando Haddad, nenhum petista palaciano ousou contestar.

Fingiram não ter existido a declaração do ex-prefeito de São Paulo sobre as conversas para aliança entre PT e PDT.

Também preferiram não militar nas redes sociais pela pré-candidatura de Felipe Camarão. A ideia é deixar a “poeira baixar”.

Palanque dividido

Em alguns setores da mídia se chegou a contestar de como ocorreria a aliança do PT com o PDT se os dois partidos deverão ter candidatos a Presidência da República.

Neste caso, o senador Weverton Rocha já disse que não se importa com palanques múltiplos e o pré-candidato do PDT a presidente, Ciro Gomes, também já admitiu divisão de palanque no Maranhão.

Ao que parece, para os pedetistas maranhenses, a questão para ser fechada resta somente definição do PT, que, claro, vai costurar acordos em outros estados.

Nada muda

O deputado federal e presidente do PL no Maranhão, deputado Josimar de Maranhãozinho, disse à coluna que a filiação do presidente Jair Bolsonaro ao seu partido não deve mexer na legenda no estado.

Josimar e outros presidentes regionais da sigla deram carta branca para o presidente nacional, Valdemar Costa Neto, para negociar a filiação do presidente da República.

Esta negociação passa por alguns estados, mas não pelo Maranhão segundo o deputado federal. Garantia, aliás, dada pelo próprio Costa Neto para Maranhãozinho.

Especulação

A mudança que Josimar diz que não acontecerá no PL do Maranhão diz respeito a informação da CNN que dizia que Bolsonaro quis ficar com a indicação do comando do partido no estado.

Sobre esta informação, Josimar Maranhãozinho classificou de especulação e fantasiosa.

Ele garantiu à coluna que acredita que o senador Roberto Rocha nunca quis a presidência do PL no Maranhão.

Greve

Os trabalhadores da limpeza de quatro hospitais da rede municipal de Saúde de São Luís cruzaram os braços por salários atrasados. São quatro meses sem receber.

A empresa responsável pelos terceirizados informou aos trabalhadores que não recebem os valores devidos pela Prefeitura de São Luís e, por isso, os salários estavam atrasados.

São cerca de 90 trabalhadores que são lotados no Socorrão I e II, Hospital da Criança e Hospital da Mulher.

Não pagava

Em nota encaminha à coluna, a Secretaria Municipal de Saúde (Semus) informou que os valores referentes ao Socorrão I – que é uma autarquia – já foram repassados para empresa.

E que das demais unidades de Saúde, a Prefeitura de São Luís realizou os pagamentos nesta quarta-feira, 17.

Ou seja, a gestão de Eduardo Braide (Podemos) estava em débito com a contratada, que sem recursos, deixou por quatro meses trabalhadores sem salário.

E mais:

- Em decisão liminar, o Tribunal de Justiça determinou a imediata suspensão da greve dos servidores do Detran/MA.

- A decisão foi do desembargador Douglas Airton Amorim que estabeleceu multa diária de R$ 100 mil.

- Os servidores do Detran paralisaram suas atividades na última terça-feira, 16, pedindo reajuste salarial e afirmando que o órgão é usado politicamente pelo diretor-geral, Francisco Nagib.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.