Guerra Urbana

Podcast: observações psicanalíticas no comportamento dos faccionados

O jornalista e pesquisador Nelson Melo apresenta o podcast Guerra Urbana.

Imirante.com

- Atualizada em 27/03/2022 às 11h02
(Foto: divulgação)

SÃO LUÍS - A Psicologia é um vasto campo que possui diversas ramificações. As várias terapias são um exemplo disso. Temos, por exemplo, a Gestalt, a Terapia Cognitivo Comportamental (TCC), a Logoterapia, a Psicologia Analítica, dentre outras. E ainda temos a Psicanálise, uma abordagem fantástica, apesar de bastante criticada. No campo do crime organizado, podemos dizer que a afirmação de Freud de que renunciamos aos nossos instintos como alternativa para uma vida feliz é pertinente.

Essa vida feliz pode ser apenas uma ilusão ou mecanismo de defesa contra o sentimento de fracasso. O Estado é recusado pelos faccionados e se transforma em sinônimo de “castrador”. Assim sendo, os membros de facções agem como se não houvesse regras acima daquelas estabelecidas nas “quebradas”. O que importa para eles é o que acontece no mundo criado como apropriado para a delinquência.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.