Queda de ultraleve

Buscas aéreas por vítima de acidente são suspensas

Advogado José do Vale Filho segue desaparecido. Acidente aconteceu na última terça (9).

Paulo de Tarso Jr./Imirante.com

- Atualizada em 27/03/2022 às 11h35
Aeronáutica fez mais de cem voos em busca de vítimas de acidente.
Aeronáutica fez mais de cem voos em busca de vítimas de acidente. (Divulgação / FAB )

SÃO LUÍS – As buscas pelo advogado José do Vale Filho, 56 anos, que estava pilotando o ultraleve que caiu na última terça-feira (9), continuam. No entanto, neste momento, as ações ocorrem por água e por terra. A Aeronáutica suspendeu as buscas aéreas, que já estavam focadas nas regiões de Bacabeira e Alcântara.

De acordo com o comandante do Destacamento do Controle Aéreo, major Fernando Curvo, a suspensão do apoio aéreo aconteceu devido que as equipes de busca “não estavam encontrando mais nada”. O major explicou que a Aeronáutica realizou mais de cem voos na área em busca dos tripulantes do ultraleve.

“As buscas estão por água e terra porque foram suspensas as buscas pela parte aérea. Nos últimos dias, não estávamos mais tendo resultados. Não estávamos encontrando mais nada nos pontos determinados”, disse o major, por telefone, ao Imirante.com.

Porém, o major garantiu que a Aeronáutica está a postos para voltar a auxiliar nas buscas, desde que surjam outros indícios. “Tendo outros indícios, com certeza a Força Aérea pode voltar”.

Acidente

A aeronave, do modelo anfíbio Seanmax, decolou, às 16h30 da última terça-feira (9), do município de Arari com destino a São Luís. Antes de perderem contato, os dois advogados falaram com familiares, e um deles afirmou que as condições do tempo não eram boas no momento do voo.

Logo após o acidente, a Força Aérea Brasileira (FAB), em parceria com o Corpo de Bombeiros, Capitania dos Portos do Maranhão, Centro Tático Aéreo (CTA) e pelas polícias Militar e Civil iniciaram as buscas pelos tripulantes do ultraleve, os advogados José do Vale Filho, 56 anos, que estava pilotando, e o amigo, Júlio César de Morais.

Alguns destroços da aeronave já foram encontrados pelas equipes de buscas e encaminhados ao Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa), no Pará, para serem periciados. No sábado (13), o corpo de Júlio César de Morais foi encontrado.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.