Na cidade de Junco do Maranhão

Presos suspeitos de matarem casal de trabalhadores rurais em Junco do Maranhão

Foram alvo da operação os suspeitos de serem os mandantes da morte de um casal de trabalhadores rurais na cidade.

Imirante.com, com informações da Polícia Civil do Maranhão

- Atualizada em 27/03/2022 às 11h01
O crime aconteceu no dia 18 de junho deste ano, quando as vítimas, Maria da Luz Benício de Sousa e Reginaldo Alves de Barros, foram vítimas de uma emboscada, quando estavam trabalhando em gleba de terra (terras não loteadas). / Foto: Divulgação.
O crime aconteceu no dia 18 de junho deste ano, quando as vítimas, Maria da Luz Benício de Sousa e Reginaldo Alves de Barros, foram vítimas de uma emboscada, quando estavam trabalhando em gleba de terra (terras não loteadas). / Foto: Divulgação.

JUNCO DO MARANHÃO - A Polícia Civil do Maranhão realizou, nas primeiras horas da manhã desta quinta-feira (26), uma operação intitulada de “Terra Vermelha”, que deu cumprimento a dois mandados de prisão temporária e três de busca e apreensão na zona rural do município de Junco do Maranhão.

Foram alvo da operação os suspeitos de serem os mandantes da morte de um casal de trabalhadores rurais na cidade.

O crime aconteceu no dia 18 de junho deste ano, quando as vítimas, Maria da Luz Benício de Sousa e Reginaldo Alves de Barros, foram vítimas de uma emboscada, quando estavam trabalhando em gleba de terra (terras não loteadas).

Segundo a polícia, o casal era meeiro, ou seja, trabalhavam em terra de outra pessoa com reparte de seus rendimentos com o dono da terra.

De acordo com as investigações, os mandantes do crime demandavam as terras junto a um sobrinho por desavenças de herança. Os presos vinham ameaçando matar o sobrinho e os meeiros para que abandonassem as terras. Após o crime, o proprietário do imóvel acabou abandonado sua propriedade.

Além das prisões, foram apreendidas duas espingardas, três revólveres calibre 38, além de outros itens que serão inseridos a investigação.

Material apreendido. / Foto: Divulgação/Polícia Civil.
Material apreendido. / Foto: Divulgação/Polícia Civil.

O caso segue sendo investigado pelo Departamento de Homicídios do interior/SHPP/PCMA. Deram apoio na operação, policiais civis da Delegacia Regional de Zé Doca, Pinheiro e da Superintendência Estadual de Repressão ao Narcotráfico (Senarc).

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter e Instagram e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.