Polícia

Policial militar suspeito de assassinar médico é preso em Imperatriz

Adonias Sadda estava na casa de um advogado; Polícia Civil já ouviu seis testemunhas no caso.

Tatyna Viana / Imirante.com

- Atualizada em 27/03/2022 às 11h02
O policial militar Adonias Sadda é o principal suspeito de ter efetuado o disparo contra o médico Bruno Calaça.
O policial militar Adonias Sadda é o principal suspeito de ter efetuado o disparo contra o médico Bruno Calaça. (Divulgação / Arquivo pessoal)

IMPERATRIZ - Uma operação conjunta das polícias Civil e Militar prendeu, no fim da tarde desta terça-feira (27), o policial militar Adonias Sadda, suspeito de assassinar o médico Bruno Calaça, na madrugada de segunda-feira (26), em uma boate de Imperatriz. O PM estava escondido na casa de um advogado, no bairro São José do Egito.

Leia também:

Médico é assassinado a tiros em Imperatriz; suspeito do crime é um policial militar

Identificado policial suspeito de ter matado médico a tiros em Imperatriz

A Polícia Civil já ouviu seis testemunhas na investigação: o irmão da vítima, um amigo, duas mulheres, o dono da boate e um funcionário. Os dois homens que aparecem nas imagens das câmeras de segurança com o PM, segundos antes do crime, ainda vão ser convocados para prestar depoimento.

O secretário de governo Eduardo Soares Sousa, que comanda a força-tarefa para o cumprimento do Decreto Municipal vigente, informou que as abordagens em bares e casas de eventos nas fiscalizações noturnas são feitas pela Polícia Militar e que a boate onde aconteceu o crime já foi notificada outras vezes por exceder o horário de funcionamento permitido.

A Polícia Militar revelou ainda que esteve no local por duas vezes na madrugada do crime para que o estabelecimento fosse fechado, mas algumas pessoas continuaram no interior após a saída dos policiais que faziam ronda. A direção da boate emitiu nota e diz que está à disposição da Justiça para os esclarecimentos necessários.

Sepultamento

O corpo de Bruno Calaça, de 23 anos, foi enterrado hoje em Porto Nacional (TO), onde a família residia atualmente. O delegado regional Alex Coelho deve ouvir Adonias Sadda ainda nesta terça-feira (27), mas as investigações seguem nesta quarta-feira (28) com o titular da Delegacia de Homicídios, que está retornando à cidade.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.