Violência contra indígenas

Indígena Guajajara é encontrado morto na terra Cana Brava, no Maranhão

A polícia investiga as circunstâncias deste caso.

Imirante, com informações da TV Mirante

- Atualizada em 26/01/2023 às 10h12
O indígena foi identificado como José Inácio Guajajara. (Foto: Reprodução)
O indígena foi identificado como José Inácio Guajajara. (Foto: Reprodução)

GRAJAÚ – Um indígena foi encontrado morto na terra Cana Brava, às margens da BR-226, na aldeia Jurema, no município de Grajaú, na terça-feira (24). A polícia investiga as circunstâncias deste caso.

O indígena foi identificado como José Inácio Guajajara. O corpo foi levado ao Instituto Médico Legal (IML) de Imperatriz. Ninguém foi preso até o momento.

Outro indígena, que mora na aldeia Água Branca, em Grajaú, estava desaparecido, mas já foi encontrado e passa bem. Ele havia se perdido na mata.

Leia também:

Dois indígenas Guajajara são baleados no interior do Maranhão e seguem internados em estado grave

No início desta semana, representantes da Comissão de Direitos Humanos da OAB-MA foram à terra indígena Araribóia ouvir os relatos de 47 caciques de 109 aldeias. Durante as conversas, foram identificados diversos tipos de violações que podem causar a destruição da vivência ancestral, segundo a Comissão.

Comissão realiza visita técnica na terra indígena Araribóia. (Foto: Reprodução/Redes sociais/OAB)
Comissão realiza visita técnica na terra indígena Araribóia. (Foto: Reprodução/Redes sociais/OAB)

Por meio de nota, a Secretaria de Estado dos Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop) informou que existe um programa em conjunto com a Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros para reforçar a proteção aos indígenas. Leia na íntegra:

"A Secretaria de Estado dos Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop) informa que a proteção dos indígenas e a titularização dos territórios são de competência da atuação direta do Governo Federal.

Contudo, o Governo do Maranhão promove ações e programas que têm por objetivo a garantia da segurança dentro dos territórios e a permanência dessas comunidades, tais como a Força-Tarefa de Proteção à Vida Indígena, um programa em conjunto com a Polícia Militar, Polícia Civil e Corpo de Bombeiros para reforçar a proteção aos indígenas.

Outra ação é o programa de proteção Defensores, que garante a vida, integridade e possibilidade de lutar pelo território com segurança a dezenas de lideranças indígenas e seus familiares".

Indígenas baleados

No início deste mês, dois indígenas, identificados como Benedito Gregório Soares Guajajara, de 19 anos, e Juninho Guajajara, de 17 anos, foram baleados nas imediações da Aldeia Maranuí, em Santa Luzia, próximo ao município de Arame. Os dois seguem internados em estado grave.

*Texto corrigido para alteração de informações às 10h12. Inicialmente, segundo a polícia, a informação era de que o indígena havia sido assassinado. No entanto, nesta quinta-feira (26), foi descartada morte por homicídio.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.