Violência

Dois indígenas Guajajara são baleados no interior do Maranhão e seguem internados em estado grave

Tentativa de duplo homicídio foi registrada na madrugada desta segunda-feira (9)

Imirante.com

- Atualizada em 10/01/2023 às 18h09
Benedito Gregório e Juninho Guajajara foram baleados quando voltavam de uma festa.
Benedito Gregório e Juninho Guajajara foram baleados quando voltavam de uma festa. (Foto: Divulgação)

ARAME - Dois indígenas, identificados como Benedito Gregório Soares Guajajara, de 19 anos, e Juninho Guajajara, de 17 anos, foram baleados, na madrugada dessa segunda-feira (9), nas imediações da Aldeia Maranuí, em Santa Luzia, próximo ao município de Arame. Os dois seguem internados em estado grave.

O crime aconteceu quando os dois indígenas transitavam na estrada de acesso às suas casas, na Aldeia Maranuí, próximo ao município de Arame, quando saíram de uma festa na Aldeia Tiririca. Eles foram socorridos e encaminhados ao Hospital Geral de Grajaú.

Benedito Gregório Soares Guajajara foi atingindo na cabeça e está internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) junto com Juninho Guajajara que também foi atingindo por arma de fogo. Os dois jovens seguem em estado grave no Hospital Geral de Grajaú.

A Polícia Civil do Maranhão (PC-MA), que só foi notificada do caso na manhã desta terça-feira (10), busca as primeiras informações para tentar identificar os autores do atentado contra os indígenas, conhecer a autoria e motivação da dupla tentativa de homicídio contra os Benedito Gregório e Juninho.

“Demos início às diligências e já pedimos apoio do pessoal de fora pra tentar identificar e saber o motivo desse atentado aos indígenas”, informou o delegado Tiago Castro, da Delegacia de Polícia de Arame.

A Secretaria de Assuntos Indígenas do Maranhão cobra a elucidação do caso e cobra justiça.

"Nós estamos muito indignados com toda essa situação. Não é a primeira vez. O que fica aqui é a nossa repúdia a esse genocídio que vem acontecendo constantemente dentro daquela região da terra indígena Arariboia, nas imediações do município de Arame. A gente pede que as autoridades competentes tomem ciência e elucida o mais rápido possível esse caso e que se faça justiça a esses dois jovens da etnia Guajajara", diz Érika Nogueira, presidente da Federação dos Agricultores Familiares e Empreendedores Familiares Rurais do Maranhão (Fafer-MA).

Atualização

No fim da manhã desta terça-feira, ao Imirante.com, o delegado Tiago Castro, chegou a confirmar a morte de um dos indígenas. Entretanto, durante esta tarde, à TV Mirante, uma fonte da Secretaria Municipal de Saúde de Grajaú informou que os dois indígenas seguem hospitalizados, com vida, em Unidade de Terapia Intensiva (UTI), e um deles está entubado, com uma bala alojada na cabeça.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.