Prisão

Suspeito de fraudes contra o INSS é alvo de operação da Polícia Federal em Codó

Ele integra uma associação criminosa que sacava benefício previdenciário com documento falso.

Imirante, com informações da PF

- Atualizada em 13/06/2022 às 09h44
Polícia federal deflagrou a operação Anastase em Codó.
Polícia federal deflagrou a operação Anastase em Codó. (Divulgação/Polícia Federal)

CODÓ - A Polícia Federal deflagrou na manhã desta segunda-feira (13) a operação Anastase para prender, no município de Codó, uma pessoa suspeita de integrar associação criminosa voltada para a prática de fraudes contra o INSS. 

Segundo a PF, o preso levou uma idosa ao cartório eleitoral de Codó, que, com uso de identidade falsa em nome de uma pessoa já falecida, fez renovação do cadastro de eleitor em nome dela, com a finalidade de fazer prova de vida perante o INSS e, assim, sacar o seu benefício previdenciário. 

Com isso, os envolvidos praticaram os crimes de inscrição eleitoral fraudulenta, tentativa de estelionato previdenciário, uso de documento falso e associação criminosa. As penas somadas podem chegar a 20 anos e 8 meses de reclusão.

O nome da operação significa “ressureição” em grego, em analogia ao fato do suspeito ter realizado prova de vida de alguém já falecido.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.