Justiça

Divulgado relatório de atuação do GPI em Buriticupu

O ex-prefeito de Buriticupu foi alvo de seis Ações Penais.

Imirante Imperatriz,com informações da assessoria

- Atualizada em 27/03/2022 às 11h41
(Arte: Maurício Araya/Imirante.com)

BURITICUPU – Vinte Ações Penais foram ajuizadas, pelo Ministério Público, por meio do Grupo de Promotores Itinerantes (GPI), contra ex-gestores de Buriticupu e Bom Jesus das Selvas, no período de 15 a 19 de junho.

As ações foram assinadas pela promotora de justiça Glauce Lima Malheiros, que responde pela promotoria da comarca e, ainda pelos promotores de justiça do GPI, Tarcísio Bonfim, André Charles Alcântara Oliveira, Gustavo Bueno, Paulo Roberto Castilho, Carlos Augusto Soares e Cláudio Correia Alencar.

O GPI foi criado em 2013 para auxiliar as promotorias de justiça em processos judiciais e extrajudiciais, quando for elevado o número de procedimentos em tramitação.

No relatório das atividades desenvolvidas nesse período constam várias ações como o ajuizamento de treze Ações Civis por atos de improbidade administrativa, uma Ação Civil por ato de improbidade administrativa, dentre outras.

Outras Informações:

O ex-prefeito de Buriticupu, Antônio Marcos de Oliveira, foi alvo de seis Ações Penais, cinco Ações Civis por atos de improbidade administrativa e uma Ação Civil por ato de improbidade administrativa com pedido de ressarcimento ao erário.

Já a ex-prefeita de Bom Jesus das Selvas, Maria de Sousa Lira, foi alvo de quatro ações penais e uma Ação de ressarcimento ao erário.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.