Segundo a SES

Balsas: descartado caso suspeito de varíola dos macacos

O Maranhão segue sem nenhum caso de varíola dos macacos confirmado.

Imirante.com

- Atualizada em 22/06/2022 às 18h06
No Maranhão, esse é terceiro caso de varíola dos macacos (Monkeypox) descartado.
No Maranhão, esse é terceiro caso de varíola dos macacos (Monkeypox) descartado. (Foto: Divulgação)

BALSAS – Foi descartado, pela Secretaria de Estado da Saúde (SES), a presença de um caso suspeito de varíola dos macacos (Monkeypox) no município de Balsas, interior do Estado.

Segundo a SES, o Ministério da Saúde informou que o quadro do paciente de 38 anos, que procurou auxílio médico, na última sexta-feira (17), após apresentar sintomas da doença não se enquadra nos critérios epidemiológicos.

O Estado segue sem nenhum caso suspeito de varíola dos macacos.

Casos suspeitos no Maranhão

No Maranhão, esse é terceiro caso de varíola dos macacos (Monkeypox) descartado. Na capital, após uma avaliação do Ministério da Saúde (MS), o caso de uma criança de 5 anos foi descartado. O caso foi descartado por meio do Centro de Informações Estratégicas em Vigilância Sanitária em Saúde (Cievs)

O segundo caso suspeito de Monkeypox, envolvendo um homem de 30 anos, que apresentou sintomas correspondentes à doença, foi negado na última sexta-feira (17), em nota da SES. 

Varíola dos macacos no Brasil

O Ministério da Saúde notificou mais dois novos casos de varíola dos macacos no país, totalizando 11 confirmações da doença. As novas detecções de contaminados pelo vírus monkeypox foram feitas pelo Laboratório Adolf Lutz em São Paulo por meio do método de isolamento viral.

Os dois pacientes são brasileiros, do sexo masculino, têm entre 36 e 38 anos, são residentes no estado de São Paulo e com histórico de viagem para a Europa. Os dois apresentam quadro clínico estável, não tem complicações e estão sendo monitorados pelas Secretarias de Saúde do estado e do município.

Segundo o ministério, todas as medidas de contenção e controle da doença foram adotadas imediatamente após a comunicação de que se tratava de um caso suspeito de varíola dos macacos, com o isolamento dos pacientes e rastreamento dos seus contatos.

Sintomas

Os sintomas iniciais da varíola dos macacos incluem febre, dor de cabeça, dores musculares, dores nas costas, linfonodos inchados (íngua), calafrios e exaustão. Lesões na pele se desenvolvem primeiramente no rosto e depois se espalham para outras partes do corpo, incluindo os genitais. As lesões na pele parecem as da catapora até formarem uma crosta, que depois cai.

De acordo com o Instituto Butantan, a varíola dos macacos pode ser transmitida pelo contato com gotículas exaladas por alguém infectado (humano ou animal), pelo contato com as lesões na pele causadas pela doença ou por materiais contaminados, como roupas e lençóis. O período de incubação da varíola dos macacos é geralmente de seis a 13 dias, mas pode variar de cinco a 21 dias. Por isso, pessoas infectadas precisam ficar isoladas e em observação por 21 dias.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante nas redes sociais Twitter, Instagram e TikTok e curta nossa página no Facebook e Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do Whatsapp pelo telefone (98) 99209-2383.