Em Bom Jesus das Selvas

MPF acompanha investigação do assassinato de líder indígena no Maranhão

Pedro Paulino Guajajara foi assassinado na sexta-feira (1º), na Reserva Araribóia.
Imirante.com, com informações do MPF03/11/2019 às 22h42
MPF acompanha investigação do assassinato de líder indígena no MaranhãoLíder indígena Pedro Paulino Guajajara foi assassinado. (Foto: divulgação)

SÃO LUÍS - Em nota divulgada na noite de sábado (2), o Ministério Público Federal (MPF) informou que está supervisionando as investigações do assassinato do líder indígena Pedro Paulino Guajajara, ocorrido na última sexta-feira (1º), na Reserva Araribóia, na região de Bom Jesus das Selvas, a 465km de São Luís.

Leia também:

Líder indígena Guajajara é morto em conflito com madeireiros

Sergio Moro afirma que Polícia Federal vai investigar assassinato de líder indígena no Maranhão

Polícia Civil vai investigar assassinatos de índio e madeireiro em terra indígena no MA

Autoridades discutem estratégias para combater conflitos na área indígena Arariboia

"O MPF aguarda o resultado das investigações da Polícia Federal para tomar as medidas judiciais cabíveis", diz a nota. A Delegacia de Polícia Civil de Bom Jesus das Selvas inicia as investigações do assassinato nesta segunda-feira (4), e autoridades se reuniram em Imperatriz para discutir a situação na Reserva Araribóia.

Entenda o caso

O líder indígena Paulo Paulino Guajajara, do grupo denominado Guardiões da Floresta, foi assassinado numa emboscada realizada na sexta-feira (1º) na Terra Indígena Arariboia, em Bom Jesus das Selvas. A informação foi confirmada pela Secretaria de Participação e Direitos Humanos do Maranhão.

Outro líder, o índio Laércio Souza Silva, foi hospitalizado com ferimentos à bala, mas já teve alta hospitalar, de acordo com a secretaria. O outro morto seria um madeireiro que participou da emboscada.

Segundo relatos, Laércio e Paulino, que era conhecido como “Lobo Mau”, haviam se afastado da aldeia para buscar água e foram cercados por pelo menos cinco homens armados que atiraram contra eles.

Leia outras notícias em Imirante.com. Siga, também, o Imirante no Twitter, Instagram, curta nossa página no Facebook e se inscreva no nosso canal no Youtube. Envie informações à Redação do Portal por meio do WhatsApp pelo telefone (98) 99209-2383.

© 2019 - Todos os direitos reservados.